Os bananas e a macacada

Fonte: http://noticias.r7.com/blogs/o-provocador/2012/05/10/os-bananas-e-a-macacada/

Depois não digam que eu não avisei. A onda do politicamente correto vai virar um tsunami. E vai afogar a todos num oceano de bobagens. Essa turma de engomadinhos não tem limite. Abrem mão do bom senso sem nenhum pudor, em troca das mais insanas paranoias. Gente doida.

A última aparição desses bananas assassinos se deu por conta da música “Kong”,  de Alexandre Pires. No vídeo de divulgação, o cantor e convidados, entre eles Neymar, aparecem vestidos, vejam só seque coincidência, de gorilas. Kong. King. Entendeu?

Pois tem gente que não entendeu. Viram racismo onde eu só vejo bom humor e música ruim. Se o Ministério Público implicasse com a baixaria da letra, já seria coisa de primatas. Mas acusar um cantor negro de racismo é piada pior que as do Danilo Gentili.

A música não ofende ninguém, além dos que ainda cultivam alguma esperança na música popular. Fora isso, só uma mente bem pervertida para enxergar algum preconceito naquela porcaria.

Deve ser falta do que fazer. Ou vontade de fazer o que não faz falta. Caso uma única folha de papel tenha sido gasta nesse delírio já é questão de enquadrar em crime ambiental.

Se à primeira vista essa situação parece apenas esdrúxula e patética, não vamos nos iludir, logo ali na frente todos perdem o controle e entraremos num mundo de regras absurdas para situações banais.

Quanto menos o Estado (leia-se Executivo, Legislativo e Judiciário) se meter em questões subjetivas, melhor para a humanidade. Trabalho é que não falta para nossos funcionários públicos.

Essa quadrilha dos politicamente corretos precisa levar uma enquadrada. “É no pelo do macaco que o bicho vai pegar”. Tô avisando.

Anúncios

Coluna da Folha – 20-04-2011 – José Simão

BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! E o site Comentando mudou o nome do PSDB: Partido dos Sem Documentos e Bafômetro.
E sabe o que o Roberto Carlos vai cantar nos seus 70 anos? “Jesus Cristo, eu AINDA estou aqui.” Rarará! E esta: “Campanha do Desarmamento paga arma na hora”. Vão começar a roubar arma pra vender pro desarmamento. Rarará!
Páscoa Urgente! Olha a placa: “Vendo ovos de Páscoa. Falar com Ovídio”. Rarará! Semana do sofrimento: Tiradentes enforcado na quinta, Cristo crucificado na sexta e foram todos pra praia. Não vai sobrar ninguém em São Paulo pra gente dar uma coelhada rápida? Semana Santa: menos ovo e mais galinhagem!
E amanhã é Tiradentes. Ninguém mais sabe quem é Tiradentes. Perguntaram prum menino na escola: “Você sabe quem é Tiradentes?”. “Sei, Tiradentes é um feriado.” Isso! Tiradentes é um feriado. Tiradentes foi enforcado, esquartejado e salgado porque não queria pagar imposto, o Quinto! Por um quinto, ele foi enforcado. Se fossem os impostos de hoje em dia, ele seria passado numa máquina de moer carne. Virava hambúrguer. Almôndega! Quibe mineiro! Tiradentes devia ser o padroeiro dos brasileiros: todo mundo com a corda no pescoço! E os impostos no Brasil não são altos. Nós é que somos baixos. Rarará!
E sabe o que Cristo falou pros apóstolos na Santa Ceia? “FICA, VAI TER BOLO!” Rarará! Aliás, sabe o que Cristo falou pros apóstolos na Santa Ceia? “De sobremesa, nós vamos ter quindim.” E os apóstolos: “MAS NÃO ERA BRIGADEIRO?”. Rarará!
E diz que o garçom perguntou pra Cristo: “Cada um paga a sua ou o Senhor vai pagar a conta toda?”. E tinha garçom na Santa Ceia? Claro! Você acha que era self-service? Por quilo? Quilão! E sabe por que não tinha japonês na Santa Ceia? Porque ele tava tirando a foto! A foto dos apóstrofos, como diz o Lula. Rarará! E sabe o que Jesus disse pro crucificado da direita? “Chega mais perto pra sair no santinho.”

E eu blasfemo, mas sou católico apostólico baiano. ACREDITO EM TUDO! Eu sou devoto de Nosso Senhor do Bonfim! Um dia fui pra igreja do Bonfim com uma amiga, entrei, ajoelhei e fiz o sinal da cruz. E ela: “Mas você não disse que era ateu?”. Sou ateu místico! E eu tô devendo uma promessa pra São Judas Tadeu até hoje! Nóis sofre, mas nóis goza! Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno!

Fonte: http://www2.uol.com.br/josesimao/colunafolha.htm

Cartilha dos Companheiros – Verbetes do óbvio lulante

Abismado – sujeito que caiu de um abismo

Armarinho – vento proveniente do mar

Aspirado – carta de baralho completamente maluca

Assaltante – um “A” que salta

Barganhar – receber um botequim de herança

Barracão – proíbe a entrada de caninos

Bimestre – mestre em duas artes marciais

Caçador – indivíduo que procura sentir dor

Cerveja – é o sonho de toda revista

Cleptomaníaco – maníaco por Eric Clapton

Coitado – agente passivo do coito

Contribuir – ir para algum lugar com vários índios

Conversão – papo prolongado

Coordenada – que não tem cor

Democracia – sistema de governo do inferno

Desviado – uma dezena de homossexuais

Detergente – ato de prender seres humanos

Determine – prender a namorada do Mickey Mouse

Diabetes – as dançarinas do diabo

Edifício – antônimo de “é fácil”

Eficiência – estudo das propriedades da letra F

Entreguei – estar cercado de homossexuais

Estouro – boi que sofreu operação de mudança de sexo

Expedidor – mendigo que mudou de classe social

Fluxograma – direção em que cresce o capim

Halogênio – forma de cumprimentar pessoas muito inteligentes

Homossexual – sabão em pó para lavar as partes íntimas

Luz solar – sapato que emite luz por baixo

Ministério – aparelho de som de dimensões muito reduzidas

Missão – culto religioso com mais de três horas de duração

Padrão – padre muito alto

Pornográfico – o mesmo que colocar no desenho

Presidiário – aquele que é preso diariamente

Pressupor – colocar preço em alguma coisa

Ratificar – tornar-se um rato

Regime Militar – rotina de dieta e exercícios feitos pelo exército

Suburbano – habitante dos túneis do metrô

Testículo – “testo” pequeno

Tripulante – especialista em salto triplo

Unção – erro de concordância verbal. O certo seria “um é”

Viaduto – local por onde circulam homossexuais

Violentamente – viu com lentidão

Volátil – o contrário de “Vem cá, sobrinho”