Dilma é terceira em ranking das mais poderosas do mundo, diz ‘Forbes’

Fonte: http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/08/dilma-e-3a-em-ranking-das-mulheres-mais-poderosas-do-mundo-1.html

 

 

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, é a terceira mulher mais poderosa do mundo, de acordo com o ranking da revista norte-americana Forbes, divulgado nesta quarta-feira (24).

Na primeira posição, aparece a primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, seguida pela secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton.

A lista da revista norte-americana é dominada por políticas, empresárias e líderes dos setores de mídia e entretenimento. A modelo brasileira Gisele Bündchen está no 60º lugar.

Entre as mulheres do mundo dos negócios, a mais bem colocada é a indiana Indra Nooyi (4ª no ranking geral), que comanda a PepsiCo, seguida pela chefe de operações do Facebook, Sheryl Sandberg (5ª), e pela presidente da norte-americana Kraft Foods, Irene Rosenfeld (10ª). Nenhuma brasileira aparece na lista nessa categoria.

A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, que no ano passado ficou no topo do ranking, este ano caiu para a oitava posição.

Lady Gaga e a recém-nomeada editora-executiva do New York Times, Jill Abramson, estão em 11º e 12º lugar, respectivamente. Gaga é a mais nova da lista, com 25 anos, enquanto a Rainha Elizabeth, no 49º lugar, é a mais velha, com 85 anos.

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, aparece na 17ª posição. Oito chefes de Estado e 29 presidentes-executivas estão na lista das 100 mulheres mais poderosas do mundo. Elas têm em média 54 anos e controlam, juntas US$ 30 trilhões. Vinte e duas delas são solteiras.

Colocação
Nome
O que faz
País

1ª           
Angela Merkel                 
Primeira-ministra da Alemanha              
Alemanha           


Hillary Clinton
Secretária de Estado dos EUA
EUA



Dilma Rousseff
Presidente do Brasil

Brasil


Indra Nooyi
Presidente e diretora executiva da PepsiCo
EUA


Sheryl Sandberg
Chefe de operações do Facebook
EUA


Melinda Gates
Co-fundadora e co-presidente da Bill & Melinda Gates Foundation
EUA


Sonia Gandhi
Presidente da India
India


Michelle Obama
Primeira-dama dos EUA
EUA


Christine Lagarde
Diretora-gerente do FMI
França

10ª
Irene Rosenfeld
Diretora executiva da Kraft Foods
EUA

11ª
Lady Gaga
Cantora
EUA

12ª
Jill Abramson
Editora executiva do New York Times
EUA

13ª
Kathleen Sebelius
Secretária de Saúde dos EUA
EUA

14ª
Oprah Winfrey
Apresentadora de televisão
EUA

15ª
Janet Napolitano
Secretária de Segurança Interna dos EUA
EUA

 

Motivos
Conforme a publicação, Dilma fez história como a primeira mulher a liderar a maior potência econômica da América Latina, enquanto Merkel foi citada como a única mulher chefe de uma economia global real da Europa. Hillary foi elogiada por ter lidado com as revoluções no Oriente Médio e revelações do WikiLeaks em seu segundo ano no cargo.

"Ao longo das múltiplas esferas de influência, essas mulheres alcançaram o poder por meio da conectividade, habilidade de construir uma comunidade ao redor de organizações que elas supervisionam, países que lideram, causas que encabeçam e marcas pessoais", acrescentou a "Forbes".

Anúncios

Coluna da Folha – José Simão 13-04-2011

BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Adorei a placa numa estrada no Ceará: “Bem-vindo a Facão”! Ué, no interior de Minas não tem “Bem-vindo a Tiros”? No Ceará é bem-vindo a facão!
E sabe porque o Falcão aceitou ser técnico do Inter? Pra se livrar do Galvão. Rarará! Pelo menos no Inter ele consegue falar!
E os cem dias da Dilma? O melhor resumo dos cem dias da Dilma é a charge do Tiago Recchia: “Presidente Dilma, Lula na linha 3”. “Diga que depois eu retorno.” E sabe como se chama a correspondente da Rede TV! na China? Ana Paula Chinoca! Rarará. Chinoca é China para os íntimos. Dilma na Chinoca. A Dilma tá muito chique. Mas de casaco vermelho tá parecendo uma lata de extrato de tomate. Elefantinho da Cica! Rarará! A Dilma tá parecendo o Elefantinho da Cica! Rarará!
E a China autoriza importação de carne de porco do Brasil. Já sei, vamos exportar palmeirense em caixinha do China in Box!
E o Bono? O Bono já é coisa nossa. Tem a cara do Dunga e óculos do Waldick Soriano! Do Reginaldo Rossi! Rarará. E uma amiga me mandou um e-mail: “Foto com Bono!” Aí eu abri o e-mail e era uma foto dela beijando um pacote de bolacha.
E aquele cambista na porta do Morumbi com a camiseta: “U2, Eu Vou!”. E aquela perua no camarote Vip: “Quem tá cantando?” Rarará! E as fotos do camarote Vip? Passaram laquê no sorriso!
E uma amiga empresária se encontrou com a Dilma na China e disse que ela tem um aperto de mão de ferramenta morsa. Sabe aquele torno de bancada?! Rarará! E essa direto de Rio Preto: “Mulher passa veneno na vagina pra matar marido durante sexo oral”. A Perereca Assassina! A Venenosa! Como dizia a Nair Bello: “Que coisa, hein!”.
O Brasileiro é Cordial! Mais uma do Gervásio. Olha a placa na empresa em São Bernardo: “Se eu descobrir quem foi o cusparolo daqui que escarrou na persiana da minha sala, vou arrancar as amígdalas desse Shrek sebento com uma colher de pedreiro enferrujada no estilo doutor Fritz. Conto com todos. Assinado: Gervásio”. E um colega escreveu embaixo: agora me deu medo. Rarará! Nóis sofre mas nóis goza.
Hoje só amanhã.
Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno!

Fonte: http://www2.uol.com.br/josesimao/colunafolha.htm

Para Lula, aumento dos salários do Congresso e de Dilma é ‘justo’

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira que é "justo" e "necessário" o reajuste dos salários do Executivo e do Legislativo.

Lula argumentou que o fim da legislatura é o momento certo de aprovar aumento de salários.

Segundo reportagem publicada hoje na Folha, deputados e senadores já defendem aumentar os próprios salários e, por tabela, reajustar também o da presidente eleita, Dilma Rousseff (PT).

Sarney diz que cabe a atuais parlamentares reajustarem salários da próxima legislatura
Temer cancela reunião de líderes; deputados defendem reajuste

Lula endossa o argumento. Para ilustrar, lembrou de episódio que ocorreu quando foi eleito em 2002, ano em que o Congresso reajustou seus vencimentos e desconsiderou a Presidência da República. Irritado, afirmou que foi vítima de "sacanagem".

"Fizeram uma sacanagem comigo, em 2002. Aprovaram [aumento] só para a Câmara e para o Senado e não aprovaram para o presidente da República. Eu não reclamei", disse o mandatário durante viagem a Moçambique, na África.

Lula contou que no dia 2 de janeiro, logo depois de assumir o mandato, o então presidente do Senado Ramez Tebet (PMDB-MS), já falecido, foi à sua sala dizer que tinha encontrado uma brecha para garantir reajuste.

"Eu respondi: olha, meu filho, pode deixar prá lá porque eu não quero como primeira medida um aumento do presidente. Fique tranquilo. Ganho pouco, mas ganho mais do que ganhava na Vilares [metalúrgica que Lula trabalhou em SP]. Fique tranquilo."

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/poder/828061-para-lula-aumento-dos-salarios-do-congresso-e-de-dilma-e-justo.shtml

Dilma e Serra lembram escândalos e se acusam de mentir em debate

O debate da TV Record com os presidenciáveis, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), foi marcado pela denúncias de corrupção que envolveram entigos assessores da ex-ministra da Casa Civil e do ex-governador de São Paulo. Em outro momento do encontro, a petista acusou o tucano de agredi-la pessoalmente e de mentir. O segundo colocado nas pesquisas disse que a rival é uma "profissional nessa arte [dizer inverdades]". O evento desta segunda-feira (25) é o penúltimo da disputa.

Os candidatos centraram seus comentários mais duros, logo no primeiro bloco, na ex-ministra Erenice Guerra e em Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto,que trabalhou na Dersa, a empresa de estradas paulista.

Erenice é acusada de ter feito tráfico de influência na Casa Civil e de ter admitido seu filho, Israel, e amigos dele na pasta. O ex-diretor da Dersa é suspeito de ter arrecadado ilegalmente R$ 4 milhões que seriam destinados a campanhas tucanas. Ambos os personagens apareceram nos programas de Dilma e de Serra no horário eleitoral obrigatório.

Atrás nas pesquisas, Serra trouxe para o debate as acusações de tráfico de influência na Casa Civil durante o período em que Erenice, ex-assessora de Dilma, esteve à frente da pasta. Para o tucano, a adversária levanta acusações contra ele para que os eleitores tenham a impressão de que os candidatos são iguais. “Foi ela que teve como braço direito uma mulher que montou um esquema amplo de corrupção”, disse.

Dilma respondeu lembrando que Erenice deu depoimento à Polícia Federal poucas horas atrás. “E que dizer do Paulo Preto que não depõe?”, questionou ela, citando o ex-diretor da empresa de estradas paulistas, a Dersa. “O candidato Serra quando está pressionado, usa essa história de trololó. [Paulo Preto] é braço direito, esquerdo e se duvidar é a cabeça também”, disse a líder nas pesquisas.

“Logo que ele chegou na Dersa, mudou os termos de um contrato. A parte sul do Rodoanel de São Paulo teve três vigas que caíram e um dos motivos levantados é material de baixa qualidade”, afirmou ela. “Nunca viga cair e ser um exemplo de gestão primorosa do candidato Serra”, disse, em referência a um incidente ocorrido na obra que foi vitrine do tucano no governo de São Paulo.

Serra chamou as acusações de Dilma de “rosário de mentiras”. “Vocês inventaram uma coisa de que teria havido uma contribuição para a campanha que eu não teria recebido e que ele teria recebido. Ele está citado numa operação que a Policia Federal fez e está investigando. Quem tem de investigar é a Polícia Federal”, disse o tucano. “A Dilma está enrolada nessa história toda e aí fica procurando pretexto para atacar os outros.”

Agressão pessoal e mentira

No segundo bloco do debate, Dilma acusou o adversário de agredi-la pessoalmente. A petista fez o comentário após Serra dizer que ela era uma “profissional nessa arte [de mentir]”. “O nível de agressão pessoal é muito alto por parte do candidato”, disse Dilma.

O novo embate ocorreu enquanto os candidatos discutiam a Petrobras. Dilma afirmou que Serra, durante o governo Fernando Henrique Cardoso, pretendia mudar o nome da empresa para Petrobrax e privatiza-la. “Ela inventa, fabula porque não tem como me atingir na administração pública”, afirmou o segundo colocado nas pesquisas.

Logo no início do bloco, Serra disse que não entendia como Dilma podia acusá-lo de ser privatista enquanto a própria candidata havia entregado a “exploração do petróleo para 108 empresas privadas”. A petista se defendeu dizendo que as regras eram diferentes antes da descoberta do pré-sal.

“Tínhamos uma regra que o senhor Serra e o senhor FHC haviam criado que valia para o petróleo de baixa qualidade”, disse. E completou: “Quando descobrimos esse bilhete premiado [o pré-sal] nós mudamos as regras”. Segundo Dilma, Serra tenta “fazer essa confusão entre o petróleo que existia antes e o pré-sal" para "deliberadamente esconder a realidade”.

Fonte: http://eleicoes.uol.com.br/2010/ultimas-noticias/2010/10/25/dilma-e-serra-lembram-escandalos-e-se-acusam-de-mentir-em-debate.jhtm

Serra ganha direito de resposta em programa de Dilma Rousseff

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu, na noite desta terça-feira (19) o primeiro direito de resposta no segundo turno das eleições presidenciais. José Serra (PSDB) ganhou o direito de veicular uma resposta no programa de televisão da adversária, a candidata do PT, Dilma Rousseff. O tucano ganhou 1 minuto para rebater as acusações sobre a privatização da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), e de número de privatizações de empresas públicas no estado de São Paulo.

Em outro processo, pelo mesmo motivo e pelos mesmos argumentos, o tribunal concedeu à coligação de Serra direito de resposta de um minuto na propaganda de rádio da coligação de Dilma.

Com as decisões, a resposta concedida a Serra, com duração de 1 minuto, será veiculada uma vez no rádio e duas na televisão. A coligação pode ingressar com embargos de declaração junto ao tribunal, mas eles não têm o poder de alterar a decisão. As mídias com as resposta a serem veiculadas precisam ser apresentadas em até 36 horas.

Os advogados de Serra argumentam que a propaganda “não se ateve a fatos reais e públicos quando disse não ter havido nenhum grande programa habitacional e de distribuição de renda no governo Fernando Henrique Cardoso”. A coligação também questionou o fato de o programa da petista ter afirmado que, durante o governo FHC, “José Serra teria contribuído para privatizar 31 empresas públicas paulistas e coordenado a privatização da CSN”. O presidenciável foi ministro do Planejamento e da Saúde no governo de Fernando Henrique.

Relator do processo, o ministro Joelson Dias destacou em seu voto que é fato que a CSN foi privatizada em 1993, durante o governo Itamar Franco, portanto, antes do governo Fernando Henrique Cardoso e de José Serra ser um de seus ministros. O relator também concedeu direito de resposta para que a coligação de José Serra rebata a afirmação da coligação adversária de que 31 empresas públicas foram privatizadas em São Paulo, durante o governo FHC. A defesa de José Serra afirma que foram nove empresas.

“Defiro o direito de resposta neste ponto porque não se pode levar a extremos tão desarrazoados ”, afirmou o ministro Joelson Dias em seu voto.

Os ministros Marco Aurélio e Dias Toffoli divergiram do voto do relator. O ministro Marco Aurélio votou também por estender o direito de resposta à afirmação da propaganda de que no governo Fernando Henrique Cardoso não teria havido programas habitacional e de distribuição de renda. Já o ministro Dias Toffoli se manifestou por conceder o direito de resposta apenas na parte em que a propaganda afirmou ter José Serra conduzido o processo de privatização da CSN.

Fonte: http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/serra-ganha-direito-de-resposta-em-programa-de-dilma-rousseff.html