JotaPêAh!

Arquivo X–S08E14

Anúncios
Deixe um comentário »

Caras & Bocas de Scully, Arquivo X S06E19 – Three Of A Kind

scully s06e19-a

scully s06e19-b

scully s06e19-c

scully s06e19-d

scully s06e19-e

Deixe um comentário »

Scully Arquivo X S05E05 – The Post-Modern Prometheus

scully

Deixe um comentário »

John Doe e Jane Roe

Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/John_Doe

John Doe is sometimes used to refer to a typical male in other contexts as well, in a similar manner as John Q. Public, Joe Public or John Smith. For example, on various forms, the first name listed is often John Doe, along with a fictional address or other fictional information, to provide an example of how to fill out the form. The name is also used frequently in popular culture, for example in the Frank Capra film Meet John Doe. John Doe was also the name of a 2002 American television series.

Similarly, a child or baby whose identity is unknown may be referred to as Baby Doe. A notorious murder case in Kansas City, Missouri referred to the baby victim as Precious Doe.[2] Other unidentified female murder victims are Cali Doe and Princess Doe. Additional persons may be called James Doe, Judy Doe, etc. However, to avoid possible confusion, if two anonymous or unknown parties are cited in a specific case or action, the surnames Doe and Roe may be used simultaneously; for example, "John Doe v. Jane Roe". Other variations are John Stiles and Richard Miles, now rarely used, and Mary Major, which has been used in some American federal cases.[3]

The Doe names are often, though not always, used for anonymous or unknown defendants. Another set of names often used for anonymous parties, particularly plaintiffs, are Richard Roe for males and Jane Roe for females (as in the landmark U.S. Supreme Court abortion decision Roe v. Wade).

Bearing the actual name John Doe can cause difficulty, such as being stopped by airport security or suspected of being an incognito celebrity.

Arquivo X S09E07

Deixe um comentário »

Arquivo X S09E01 – Nothing Important Happened Today

Dr. Gordon, de Jogos Mortais, em Arquivo X.

dr gordon x files

Deixe um comentário »

Arquivo X S09E05: Lord of the Flies

sue x files

Sue Sylvester no Arquivo X.

sue x files monster

Deixe um comentário »

Arquivo X – S07E18 (Brand X)

saw x files

Olá e bem vindo.

Eu quero jogar um jogo!

Deixe um comentário »

Arquivo X – Uma análise temporada a temporada

Fonte: http://omelete.uol.com.br/series-e-tv/arquivo-x-uma-analise-temporada-a-temporada/

1a Temporada – episódios 1 a 24

A agente especial Dana Scully é transferida para o arquivo X, uma área do FBI dedicada a casos estranhos. Seu trabalho é acompanhar o agente Fox Mulder, que no primeiro encontro dos dois diz uma de suas famosas frases: "Ninguém aqui além dos menos procurados do FBI", uma piada com a lista dos criminosos mais procurados divulgada pelo Bureau. O primeiro caso leva a dupla a investigar porque adolescentes estão morrendo no Oregon. O piloto estabelece a diferença entre os dois agentes. Apesar de seu jeito de cachorro chutado para fora do churrasco, Mulder já mostra sua obsessão por descobrir a verdade, mesmo que isso lhe custe a carreira. Scully mostra-se desde o início incapaz de acreditar em algo que não seja comprovado por evidências físicas, mas, suas crenças são desafiadas rapidamente num dos melhores episódios da série, "O Vidente" ("Beyond the Sea"). A temporada traz também outros momentos inesquecíveis em "Assassino Imortal" ("Squeeze") e a primeira participação dos Pistoleiros Solitários em "Ser do Espaço" ("E.B.E."). O fundo do poço fica por conta de "Missão em Perigo" ("Espaço"). A curiosidade fica na primeira participação de Nicholas Lea como uma das vítimas em "Assassino ou Assassina" ("Genderbender"). O ator depois voltaria à série como o agente Krycek, carinhosamente apelidado de "rato" pelos fãs.

2a Temporada – episódios 25 a 49

A segunda temporada foi concebida em torno da notícia da gravidez de Gillian Anderson, que impulsionou a criatividade dos roteiristas. Começando com "Homenzinhos Verdes" ("Little Green Men"), Scully é separada de Mulder e volta a trabalhar como professora em Quântico. Mulder ganha um novo parceiro, Alex Krycek, que se revela um agente duplo em "A Ascensão". Além do enredo que leva ao rapto e retorno de Scully, a temporada traz um dos episódios mais aterrorizantes da série, "Irresistível" ("Irresistible"). Longe dos monstros, mutantes e seres sobrenaturais, o vilão é um criminoso comum, um assassino que poderia estar na minha ou na sua vizinhança. Para quem gosta de monstros tradicionais, o diabo em pessoa aparece em "Os Adoradores das Trevas" ("Die Hand Die Verletzt").

A temporada termina com "Anasazi", primeira parte de uma trilogia em que Mulder aceita documentos obtidos por um hacker que o levam até um vagão enterrado no deserto do Novo México. Chris Carter tem seu momento Hitchcock aparecendo como um agente do FBI.

3a Temporada – episódios 50 a 73

A trilogia termina com "Operação Clip de Papel" ("Paper Clip"), nome de um plano concebido a partir da queda do OVNI em Roswell para criar híbridos de humanos e alienígenas. A irmã de Scully é morta por Krycek numa piada da produção com o fato dos atores Nicholas Lea e Melinda McGraw serem namorados na época. Fora da mitologia da série, a terceira temporada tem um dos episódios premiados de Arquivo X, "O Repouso Final de Clyde Bruckman" ("Clyde Bruckman’s Final Repose"), que deu um Emmy de roteiro a Darin Morgan, e outra à participação especial de "Roy Thinnes" ("Os Invasores") em "O Milagre".

Foi durante a produção da terceira temporada que a equipe que procurava locações para a filmagem de "Tímido demais" ("2Shy") fez sua descoberta mais assustadora. Durante uma pausa para o café, o assistente de diretor Tom Braidwood, também intérprete de Frohike, o diretor David Nutter e a gerente de locação Louisa Gradnitzer viram Steve Kiziak atravessando uma rua. Extremamente parecido com David Duchovny, Kiziak tornou-se da noite para o dia o dublê de fotos do ator e ganhou um papel diante das câmeras na sétima temporada em "Faminto" ("Hungry").

4a Temporada – episódios 74 a 97

A quarta temporada começa com Mulder e Scully descobrindo um lugar repleto de clones de Samantha e a entrada de Marita Covarrubias como a nova informante do agente. A atriz escolhida parece saída direto do plano inicial da Fox para uma parceira de Mulder, alta, loira e absolutamente sem química com o ator ou a série. Depois do passeio pela mitologia, os agentes são despachados para um dos episódios mais perturbadores da série, o que para o Arquivo X é um tremendo elogio. Em "O Lar" ("Home"), Mulder e Scully encontram os Peacocks e discutem seus sentimentos sobre a paternidade.

Apesar de desagradar os críticos, "Meditações de um Canceroso" ("Musings of a Cigarette Smoking Man") coloca o maior inimigo do Arquivo X até o momento em quase todos os eventos históricos desde a morte de Kennedy no melhor estilo Forest Gump. Sua frustração por não conseguir publicar um livro de espionagem apesar de ser um espião de verdade lembra a biografia de Hitler e sua fracassada carreira de pintor. Aos críticos, uma explicação: o episódio é a versão de Frohike para a vida do Canceroso, não, necessariamente, a verdade.

Outro ponto alto da temporada foi "Corações de Pano" ("Paper Hearts") que colocou sérias dúvidas sobre as lembranças de Mulder quanto ao rapto de sua irmã. Seria mesmo um caso de abdução ou um rapto comum? Foi no quarto ano também que o roteirista Frank Spotnitz surgiu com a idéia de Scully ter um câncer.

5a Temporada – episódios 98 a 117

"Suspeitos Incomuns" ("Unusual Suspects") mostra como os Pistoleiros Solitários se encontraram pela primeira vez, abrindo caminho para o que seria mais tarde um dos derivados de Arquivo X, o seriado com os amigos de Mulder. O episódio contou também com a participação especial de Richard Belzer, o detetive Munch de Law & Order: Special Victims Unit, um personagem tão desconfiado do governo quanto Mulder e Scully.

A temporada também ficou marcada pela falta de uma participação especial que teria sido inesquecível, Cher em "Prometeu Pós Moderno" ("Post-Modern Prometheus"). O episódio, a passagem de Arquivo X pelo tema de Frankenstein, filmado em preto e branco e dirigido por Chris Carter, pedia a presença da cantora no final. Cher recusou, mas, acabou se arrependendo. Se os Simpsons tiveram orgulho de contracenar com Mulder e Scully, ela também poderia ter saído ganhando.

O público viu ainda um episódio escrito por Stephen King, "Feitiço" ("Chinga"), com seu tradicional uso de um objeto comum, no caso uma boneca, para aterrorizar uma cidade. Outro convidado no roteiro foi William Gibson, autor de Vivendo no Ciberespaço (Killswitch).

Se a gravidez de Gillian Anderson comandou a criatividade dos roteiristas na segunda temporada, o quinto ano da série foi direcionado pelo primeiro longa-metragem para cinema, com vários episódios programados para dar mais tempo aos atores para se dedicarem ao filme.

Arquivo X – Resista ao Futuro

Embora não seja parte de nenhuma temporada, o primeiro longa-metragem da série foi obrigatoriamente inserido no enredo no momento em que a Fox e Chris Carter decidiram lançar Arquivo X no cinema antes do final da série. O filme explora a existência de um vírus de origem extraterrestre e um atentado terrorista ordenado pelo próprio governo. Ao final do longa, o Arquivo X é mais uma vez reaberto.

6a Temporada – episódios 118 a 139

A sexta temporada marcou a chegada da produção em Los Angeles. Algumas idéias foram recicladas, como um roubo a banco que terminava com a morte de Mulder e Scully, explorando a volta no tempo, o que vários outros programas e filmes já haviam feito.

Foi a vez, também, de explorar mais uma lenda popular, o triângulo das Bermudas, quando Mulder aparece à deriva no oceano. Salvo por um barco que passava, ele se descobre a bordo de um navio de passageiros em meio à Segunda Guerra Mundial. Todos os atores do seriado assumem papéis diferentes, com Gillian Anderson interpretando uma agente cuidando da segurança de um cientista. Aproveitando a troca de personagens, Mulder e "Scully" trocam um beijo, ou melhor, ele beija, ela lhe dá um soco no queixo.

Outro episódio capaz de dividir os fãs foi o duplo"Terra dos Sonhos" ("Dreamland"), em que o agente Morris Fletcher (Michael McKean) troca de corpo com Mulder. O tom de comédia continuou com "Arcádia" ("Arcadia"), em que Mulder e Scully investigam um subúrbio fingindo serem casados e "Como os Fantasmas Estragaram o Natal" ("How the Ghosts Stole Christmas"), filmado na casa mal assombrada da Disneyworld.

7a Temporada – episódios 140 a 161

A sétima temporada continuou com a mitologia a partir de "A Sexta Extinção" ("The Sixth Extinction"), que contou com o trabalho de David Duchovny como roteirista. Outro momento marcante foi "Milênio" ("Millennium"), um cruzamento com a outra série de Chris Carter, sobre outro agente do FBI, Frank Black.

Para os fãs do relacionamento entre os agentes, a sétima temporada vai ficar na memória pelo beijo trocado na passagem de 1999 para 2000. Já os fãs do terror tiveram a chance de rever Donnie Pfaster em "Reverendo Orison" ("Orison"), uma seqüência de "Irresistível" ("Irresistible").

Apesar das críticas, Chris Carter mostrou que ainda tinha coragem de experimentar com formatos, incluindo na temporada um episódio filmado ao estilo de outro seriado da Fox, Cops, em "O Medo" ("X-Cops"), e a idéia um tanto "absurdA" de que Skinner aprovaria um filme inspirado pelo Arquivo X. "Hollywood d.C." ("Hollywood AD"), estrelado pelo comediante Garry Shandling e Tea Leoni, foi produzido a partir de outro roteiro escrito por David Duchovny. William B Davis, o Canceroso, também mostrou seu talento de escritor em "A Salvação da Humanidade" ("Em Ami"), último episódio dirigido por Rob Bowman.

8a Temporada – episódios 162 a 182

A oitava temporada foi marcada pelo afastamento de David Duchovny, envolvido com seu desejo por novos desafios e também por suas desavenças com a Fox. Enquanto uma parte do público considera que Arquivo X deixou seu coração em Vancouver, no final da quinta temporada, outra parte considera a saída de um dos dois protagonistas como o golpe final na química que transformou a série num sucesso.

Apesar disso, o novato agente Doggett, interpretado por Robert Patrick, acabou sendo aceito pelo público, e até a substituta de Scully, Mônica Reyes (Annabeth Gish) encontrou uma dose menor de rejeição. Talvez porque o público soubesse que eles nunca de fato herdariam a série.

Além de problemas diante das câmeras, a temporada começou com um acidente que deixou seis feridos e um morto na equipe de produção, Jim Engh, homenageado nos créditos de "Por Dentro".

Para alegria dos "shippers", os fãs que torciam por um romance, a temporada termina com o nascimento do bebê de Scully, que recebe a visita da versão Arquivo X dos Reis Magos, os Pistoleiros Solitários, e o terceiro beijo da série entre o casal de agentes. Podemos passar um bom tempo discutindo se o bebê recebeu o nome de William por ser filho de Mulder, seja por inseminação artificial ou por um caso entre os agentes, ou se foi apenas uma homenagem. Não importa. A audiência, que vinha caindo há várias temporadas, continua seu caminho para baixo e a produção anuncia que a próxima será a última temporada de Arquivo X.

9a Temporada – episódios 183 a 202

A viagem iniciada em 1993 chega ao fim. O estúdio perde a aposta de continuar a série sem a dupla principal e faz as pazes com o fato de que coisas boas também terminam.

A temporada final marcou a ausência total de David Duchovny e a tentativa de amarrar as muitas pontas soltas da mitologia, embora a esperança de um segundo filme para o cinema seja motivo para deixar algo a ser resolvido. Entre os assuntos encerrados, pelo menos no que se pode chamar de definitivo numa série em que tudo é possível, está a morte dos Pistoleiros Solitários em "Eles Nunca Morrem" ("Jump the Shark") e a morte do filho de Doggett em "Libertação" ("Release").

Apesar de ser a última temporada, novos personagens são adicionados à galeria da série. Lucy Lawless (Xena) entra para o elenco como Shannon McMahon, uma militar que Doggett conheceu em Beirute.

Para o público, no entanto, tudo o que importa é a volta de David Duchovny para o episódio duplo final "A Verdade" ("The Truth") para que Mulder e Scully terminem juntos a viagem que começaram nove anos atrás.

A mitologia – temporada a temporada

Quem chega de repente ao universo de Arquivo X deve estar preparado para uma boa quantidade de lição de casa. O enredo principal da série, aquele que aponta que forças ocultas em meio ao governo estão envolvidas em ocultar provas da presença alienígena na terra, está espalhado ao longo das nove temporadas.

Para quem quer ir direto ao ponto, aqui vai a lista:

Temp.

Título em português
Título original

1
Arquivo X: Piloto
The X-Files: Pilot

A Verdade Está Lá Fora
Deep Throat

O Elo de Ligação
Conduit

Caçada Sangrenta
Fallen Angel

O Ser do Espaço
E.B.E.

Jogo de Gato e Rato
The Erlenmeyer Flask

2
Os Homenzinhos Verdes
Little Green Men

Duane Barry – parte 1
Duane Barry

A Ascensão – parte 2
Ascension

Por Um Fio – parte 3
One Breath

A Colônia – parte 1
Colony

Fim de Jogo – parte 2
End Game

Anasazi – Parte 1
Anasazi

3
O Caminho da Cura – Parte 2
The Blessing Way

Operação Clipe de Papel – Parte 3
Paper Clip

Os Japoneses – Parte 1
Nisei

O Falso Alienígena – Parte 2
731

O Mistério do Piper Maru – Parte 1
Piper Maru

O Mistério do Piper Maru II – Parte 2
Apocrypha

Do Espaço Sideral
Jose Chung’s From Outer Space

O Milagre – Parte 1
Talitha Cumi

4
Procura Incessante – Parte 2
Herrenvolk

Tunguska, A Pedra da Morte – 1ª Parte
Tunguska

Terma, A Pedra da Morte – 2ª Parte
Terma

Lembranças Finais
Memento Mori

Lapso de Tempo – 1ª Parte
Tempus Fugit

Lapso de Tempo – 2ª Parte
Max

Não Restou Mais Nada
Zero Sum

A Maior das Mentiras – Parte 1
Gethsemane

5
Em Busca da Verdade – Parte 2
Redux

Em Busca da Verdade – Parte 3
Redux 2

Suspeitos Incomuns
Unusual Suspects

Surpresa no Natal – Parte 1
Christmas Carol

Emily – Parte 2
Emily

A Paciente X – Parte 1
Patient X

A Paciente X – Parte 2
The Red and the Black

O Fim
The End

Arquivo X – Resista ao Futuro

6
O Princípio
The Begining

S.R. 819
S.R. 819

Dois Pais – Parte 1
Two Fathers

Um Filho – Parte 2
One Son

O Anti-Natural
The Unnatural

Biogênesis Final
Biogenesis

7
A Sexta Extinção – PARTE 1
The Sixth Extinction

A Sexta Extinção – PARTE 2
The Sixth Extinction II: Amor Fati

Libertação – PARTE 1
Sein Und Zeit

Libertação – PARTE 2
Closure

A Salvação da Humanidade
En Ami

Réquiem
Requiem

8
Por Dentro
Within

Por Fora
Without

Enganação
Per Manum

Isto Não Está Acontecendo
This is Not Happening

Morto Vivo
DeadAlive

Três Palavras
Three Words

Essência – Parte 1
Essence

Existência – Parte 2
Existence

9
Nada Importante Aconteceu Hoje – Parte 1
Nothing Important Happened Today

Nada Importante Aconteceu Hoje – Parte 2
Nothing Important Happened Today II

Não Confie Em Ninguém
Trust No 1

Procedência – Parte 1
Provenance

Procedência – Parte 2
Providence

William
William

A Verdade
The Truth

Deixe um comentário »

Arquivo X (S03E11)

Arquivo X S03E11

 

Pe: Veio se confessar?
Scully: Não. Tem um homem com quem trabalho, um amigo, normalmente eu posso discutir essas coisas com ele. Mas não isto. Padre, acredita em milagres?
Pe: É claro. Eu os vejo todos os dias. O sol nascente, o nascimento de uma criança…
Scully: Não, eu me refiro a fatos que desafiam explicação. Coisas que… que me ajudaram a salvar um garotinho. Mas agora eu me pergunto se as vi mesmo, se não as imaginei.

Pe: E por que duvida de si mesma?
Scully: Porque o meu parceiro não as viu. Ele não acreditou nelas. E, normalmente, ele acredita sem questionamento.
Pe: Talvez não devessem ser vistas por ele. E sim só por você.
Scully: lsso é possível?
Pe: Com o Senhor, tudo é possível. Talvez você tenha visto essas coisas porque precisava.

Scully: Para achar meu caminho de volta?
Pe: Às vezes, precisamos completar o círculo para achar a verdade. Por que isso a surpreende?
Scully: Apenas me dá medo.
Pe: Medo?
Scully: Medo de que Deus esteja falando, e ninguém esteja escutando.

Deixe um comentário »

Vibhuti – A Cinza Sagrada

Arquivo X S02E21

 

Fonte:http://www.sathyasai.org.br/devocao/oracoes-e-mantras/vibhuti—a-cinza-sagrada.html

 

As cinzas nos lembram que toda a matéria é perecível e limitada a uma forma e a uma duração. Portanto, não devemos nos apegar a nada, nem mesmo ao nosso corpo físico. O principal objetivo de todo ser humano deve ser reduzir seu ego a cinzas e conhecer Aquele que É Sempre Existente e que está além de todas as limitações.

Geralmente, o vibhuthi é passado nos três chacras (centros de energia) principais, localizados no ponto entre as sobrancelhas, na parte frontal da garganta e no centro do peito, indicando que desejamos ter unidade entre pensamento, palavra e ação. O vibhuthi tem um grande poder curativo, podendo ser ingerido (diretamente ou diluído em água) ou espalhado sobre qualquer parte do corpo onde existam problemas.

 

Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Vibhuti

Sacred ash

Vibhuti is the sacred ash used in religious worship in Hinduism. The main ingredient of Vibuthi is a special kind of wood, but several other substances, such as milk and ghee, prescribed in scriptures are also added. These substances are burned in a sacred fire (Homa). Vibhuti is placed on the forehead as it is considered sacred and holy. Many devotees add an amount to the tongue to receive the blessings of the deity.

The ash has several symbolic meanings:

  • When eaten, Vibuthi imparts the blessings (Sanskrit: adhishthana) of the divine.
  • Placed on the forehead of devotees, it serves as a sectarian mark (tilaka).
  • In worship connected with Lord Shiva it is a symbol of purity and is one of the main sacraments given at pūjā in all Śaivite temples and shrines.[2]
  • It serves as a reminder to the believer to cast away selfish and worldly desires that wrap the self in maya, and calls to mind the story of how Shiva burned Kama (the god of desire) to ashes when Kama attempted to break Shiva’s focus on the Divine Truth.[citation needed]

[edit] Glorious attributes

Vibhuti may refer to glorious attributes of the divine, and in this context is translated as ‘all pervading’, ‘superhuman power’, ‘wealth’ and so on.

The ash of any burnt object is not regarded as holy ash. Bhasma (the holy ash) is the ash from the Homa (sacrificial fire) where special wood along with ghee and other herbs is offered as worship of the Lord. Or the deity is worshipped by pouring ash as abhisheka and is then distributed as bhasma. Bhasma is generally applied on the forehead. Some apply it on other parts of the body, like the upper arms, chest, etc.

The word bhasma means “that by which our sins are destroyed and the Lord is remembered". ”Bha” implies Bhartsana (“to destroy”) and “sma” implies smaranam (“to remember”). The application of Bhasma therefore signifies destruction of the evil and remembrance of the divine. Bhasma is called Vibhuti (“glory”) as it gives glory to one who applies it and raksha (which means a source of protection) as it protects the wearer from ill health and evil, by purifying him or her. The ash we apply indicates that we should burn false identification with body and become free of the limitations of birth and death. It also reminds us that the body is perishable and shall one day be reduced to ashes. As death can come at any moment, this awareness must increase our drive to make the best use of time. This is not to be misconstrued as a morose reminder of death, but as a powerful pointer towards the fact that time and tide wait for none.

Bhasma is specially associated with Lord Shiva, who applies it all over His body. According to Hindu mythology Vibhuti or Bhasma is said to be favorite to Lord Shiva and that’s why He is often called Vibhuti Bhushan (the one having ash as his ornament). Shiva devotees apply bhasma as a tripundra (the form of three lines). When applied with a red spot in the centre, the mark symbolises Shiva-Shakti (the unity of energy and matter that creates the entire seen and unseen universe).

Ash is what remains when all the wood is burnt away and it does not decay. Similarly, the Lord is imperishable Truth that remains when the entire creation of innumerable names and forms is dissolved.

Bhasma is believed to have medicinal value and is used in many ayurvedic medicines. It absorbs excess moisture from the body and prevents colds and headaches. The Upanishads say that the famous Mrutyunjaya mantra should be chanted whilst applying ash on the forehead, thus:

“Tryambakam yajaamahe sugandhim pushtivardhanam Urvaarukamiva bandhanat mrutyor muksheeya maa amritaat !!”
“We worship the three-eyed Lord Shiva who nourishes and spreads fragrance in our lives. May He free us from the shackles of sorrow, change and death effortlessly, like the fall of a ripe cucumber from its stem !!”

In yajna only wood is burnt, since cow dung is not considered sufficiently sacred to be used in yajna. Mostly sandalwood or shami wood is used in yajnas.

[edit] Paranormal powers

Vibhuti (powers) can refer to paranormal powers that some believe can be developed by yoga practices.

[edit] Vibhuti Pada

Patanjali in the Vibhuti Pada of the Yoga Sutras, mentions many different vibhutis:

  • Knowledge of the past and future
  • Understanding the sounds (language) of all beings
  • Knowledge of previous existences
  • Knowing the minds of others
  • Invisibility
  • Suspending the ability of the body to be heard, touched, tasted, or smelled
  • Foreknowledge of the time of death
  • Strength of any attitude (such as friendliness)
  • Super strength (such as the strength of an elephant)
  • Knowledge of subtle, hidden, remote things
  • Knowledge of worlds, realms, universes, etc.
  • Knowledge of the arrangement of stars, planets, etc.
  • Knowledge of the movement of stars, planets, etc.
  • Knowledge of the arrangement of systems in the body
  • Freedom from hunger and thirst
  • Attainment of steadiness or immobility
  • Visions of Siddhas (perfected beings)
  • Knowledge of anything and everything
  • Knowledge of the mind
  • Knowledge of pure consciousness (purusha)
  • Psychic hearing, touch, vision, taste, and smell
  • Entering and controlling the bodies of others
  • Ability to float or walk on water, swamps, thorns, and other such objects
  • Ability to glow or radiate light around the body
  • Super hearing (hearing at vast distances)
  • Ability to fly
  • Mastery over the elements (earth, water, fire, air, space)
  • Making the body atomically small, indestructible, perfect
  • Perfection of the body in beauty, strength, grace, and brilliance
  • Mastery over the senses
  • Quickness of the mind, perception with the senses
  • Supremacy over all states of existence, omnipotence
  • Higher knowledge
  • Discriminating knowledge
  • Absolute freedom (kaivalyam)
[edit] Vibhuti Yoga in the Gita

In Chapter 10 of the Bhagavad Gita, titled Vibhuti Yoga, Krishna uses the term vibhuti to describe divine attributes such as magnificence, splendour, glory and prosperity.

[edit] As a personal name

Vibhuti (variant Vibhute) is used as surname in northern parts of Indian subcontinent, mostly by members of the Agrahari community and also this is a common name in Bangla-spoken part of India.[citation needed] The Bengali Writer Vibhuti Bhushan Bandopadhyay (often written as "Bibhutibhushan Bandopadhyay")’s book ‘Pather Panchali’ (The Song of the Road) was adapted into a film by Satyajit

Deixe um comentário »

Arquivo X S02E19

 

Arquivo X S02E19

Scully: Às 4:30 da manhã de 12 de março, o Agente Mulder perdeu os sentidos. Não há mais nada que possa fazer por ele. Ou por mim mesma. As provisões acabaram. Nenhuma comida ou bebida por mais de 24 h. O casco externo provavelmente inundou-se, e o casco interno agora suporta o navio. Entre os pertences de Halvorsen, achei um livro infantil de lendas nórdicas. Pelo que entendi, as gravuras mostram o fim do mundo. Não como ensina a Bíblia, numa súbita tempestade do fogo da maldição, mas lentamente coberto por uma manta de neve. Primeiro a lua e as estrelas se perderão numa neblina densa e branca. Depois os rios e os lagos se congelarão. E finalmente, um lobo chamado Skoll abrirá a boca e comerá o sol, levando o mundo a uma noite eterna. Acho que ouço o lobo à porta.

Deixe um comentário »

Arquivo X – S01E03 Conduit

SCENE 16
(A tape is taken out of a tape recorder and turned over and put back in and play pressed. Scully is alone in a room, voices are heard from the tape recorder)

DR. HEITZ WERBER: But your eyes are open?

(Scully is going through the X-File on Mulder’s sister)

MULDER: Yeah, they’re open but it’s like, nothing’s happening.

DR. HEITZ WERBER: Try turning your head.

MULDER: I can’t.

DR. HEITZ WERBER: Why not?

MULDER: I don’t know. I can’t move, so I don’t…(We see a close-up of the tape being played, on it it says: F. Mulder hypnotic regression tape session number 2B: June 16) I just lie there in bed.

DR. HEITZ WERBER: Can you see your sister?

MULDER: No, but I can hear her.

DR. HEITZ WERBER: What is she saying?

(Scully lifts up a picture and looks at it)

MULDER: She’s calling out my name, over and over again. (We see the picture is one of Mulder and his sister when they were kids. We see it is Mulder who is now holding the picture) She’s crying out for help but I can’t help her. I can’t move. (We see that Mulder is sitting inside a church)

DR. HEITZ WERBER: Are you scared?

(Mulder starts crying)

MULDER: I know I should be but I’m not.

DR. HEITZ WERBER: Do you know why?

MULDER: Because of the voice.

DR. HEITZ WERBER: The voice?

MULDER: The voice in my head.

(Mulder keeps down on his knees and begins to pray)

DR. HEITZ WERBER: What’s it telling you?

(The camera zooms away from Mulder as he prays)

MULDER: Not to be afraid. It’s telling me no harm will come to her, and that one day she’ll return.

DR. HEITZ WERBER: Do you believe the voice?

(The scene fades to black)

MULDER: I want to believe.

[THE END]

Deixe um comentário »

%d blogueiros gostam disto: