Lei acaba com a diferença entre trabalho na empresa e remoto

Original: http://computerworld.uol.com.br/carreira/2011/12/29/lei-acaba-com-a-diferenca-entre-trabalho-na-empresa-e-remoto/

A Lei 12.551, sancionada no meio de dezembro, alterou o artigo sexto da CLT para equiparar os efeitos jurídicos do trabalho exercido por meios telemáticos e informatizados ao exercido por meios pessoais e diretos. Significa que, no Brasil, deixa de haver distinção entre trabalho na empresa, em casa ou a distância. A lei é uma tentativa de acompanhar o avanço da tecnologia e o aumento da preocupação com qualidade de vida. Agora, oficialmente, não importa mais o local de trabalho, mas se o trabalhador executa a tarefa determinada pela empresa.

O funcionário com carteira assinada que trabalha longe do escritório passa a ter os mesmos direitos dos outros, como hora extra, adicional noturno e assistência em caso de acidente de trabalho. O controle das horas e a supervisão do trabalho podem ser feitos por meios eletrônicos.

Desde o dia 15 de dezembro, data de publicação da Lei 12.551, o artigo sexto da CLT passa a ter a seguinte redação:

“Art. 6o Não se distingue entre o trabalho realizado no estabelecimento do empregador, o executado no domicílio do empregado e o realizado a distância, desde que estejam caracterizados os pressupostos da relação de emprego.

Parágrafo único. Os meios telemáticos e informatizados de comando, controle e supervisão se equiparam, para fins de subordinação jurídica, aos meios pessoais e diretos de comando, controle e supervisão do trabalho alheio.”

Sites usam código escondido para encontrar câmeras roubadas na web

Fonte: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/12/sites-usam-codigo-escondido-para-encontrar-cameras-roubadas-na-web.html

 

Quem teve sua câmara digital roubada pode ter boas chances de encontrá-la graças a serviços de rastreamento oferecidos na internet.

Dois sites oferecem o serviço, o britânico stolencamerafinder e o americano CameraTrace. Ambos se aproveitam de um código embedado nas fotos tiradas por câmaras digitais – ou pelo menos pela grande maioria delas.

Esse código, conhecido como EXIF data, traz informações como marca, modelo e número de série da máquina.

Os sites são capazes de rastrear fotos tiradas pelas câmeras roubadas que foram postadas na internet, seja onde for – em sites como Facebook ou Flickr, por exemplo.

Quando fotos tiradas com máquinas roubadas são detectadas, o cliente recebe os detalhes e pode acionar a polícia.

Rastreamento
Foi assim que o fotógrafo americano John Heller, da Getty Images, conseguiu recuperar seu equipamento digital, avaliado em US$ 9 mil, roubado em um centro cultural em Hollywood, em 2010.

Quase um ano depois do roubo, Heller, através do CameraTrace, encontrou fotos tiradas com sua câmera, uma Nikon D3, que tinham sido postadas no Flickr.

Com ajuda da polícia, descobriu-se que as imagens foram postadas por outro fotógrafo profissional, que tinha comprado a máquina no eBay, sem saber que era roubada, e Heller conseguiu recuperar sua câmera.

História semelhante é a de Kevin Hayes, contada pelo jornal australiano Sidney Herald, que teve sua câmera roubada, uma Canon EOS 5D, quando passeava pelas ruas em Melbourne.

Ele soube do site stolencamerafinder através da dica de um internauta. Com uma foto antiga tirada com a câmara roubada foi possível fazer o registro e iniciar a busca, que acabou encontrando outras fotos tiradas com a mesma máquina em uma conta no Flickr, de um tatuador em Sydney.

As informações foram encaminhadas para polícia australiana, e Hayes recuperou a câmera.

Arquivo X – S01E03 Conduit

SCENE 16
(A tape is taken out of a tape recorder and turned over and put back in and play pressed. Scully is alone in a room, voices are heard from the tape recorder)

DR. HEITZ WERBER: But your eyes are open?

(Scully is going through the X-File on Mulder’s sister)

MULDER: Yeah, they’re open but it’s like, nothing’s happening.

DR. HEITZ WERBER: Try turning your head.

MULDER: I can’t.

DR. HEITZ WERBER: Why not?

MULDER: I don’t know. I can’t move, so I don’t…(We see a close-up of the tape being played, on it it says: F. Mulder hypnotic regression tape session number 2B: June 16) I just lie there in bed.

DR. HEITZ WERBER: Can you see your sister?

MULDER: No, but I can hear her.

DR. HEITZ WERBER: What is she saying?

(Scully lifts up a picture and looks at it)

MULDER: She’s calling out my name, over and over again. (We see the picture is one of Mulder and his sister when they were kids. We see it is Mulder who is now holding the picture) She’s crying out for help but I can’t help her. I can’t move. (We see that Mulder is sitting inside a church)

DR. HEITZ WERBER: Are you scared?

(Mulder starts crying)

MULDER: I know I should be but I’m not.

DR. HEITZ WERBER: Do you know why?

MULDER: Because of the voice.

DR. HEITZ WERBER: The voice?

MULDER: The voice in my head.

(Mulder keeps down on his knees and begins to pray)

DR. HEITZ WERBER: What’s it telling you?

(The camera zooms away from Mulder as he prays)

MULDER: Not to be afraid. It’s telling me no harm will come to her, and that one day she’ll return.

DR. HEITZ WERBER: Do you believe the voice?

(The scene fades to black)

MULDER: I want to believe.

[THE END]

A Celebração de um Nascimento

A CELEBRAÇÃO DE UM NASCIMENTO
Pr. Mark Finley

A história de natal gira em torno de um nascimento. O nascimento do menino Jesus. Hoje, neste "Está Escrito" especial de natal, convidamos você a juntar-se a nós para celebrarmos este momento único na história. Capte a essência deste acontecimento milenar através de canções, orações, e das escrituras. Permita que Cristo encha o teu coração de encorajamento neste natal, pois continua sendo a celebração de um nascimento.Não houve acontecimento mais emocionante na vida conjugal de Maria do que o nascimento de seu primeiro filho. Minha esposa e eu tínhamos 25 anos, quando nossa filha Debby nasceu. Eu tinha tanta certeza de que o bebê seria menina, que comprei um lindo vestidinho vermelho totalmente brilhoso. Você consegue imaginar nossa filha recém-nascida usando um vestido vermelho brilhoso? Ela iluminou o hospital inteiro. Dizer que Teeny e eu estávamos felizes com o nascimento de nossa primogênita é pouco. Dizer que não estávamos preparados para a experiência é menos ainda. Nós lemos todos os livros sobre crianças que apareceram em nossa frente. Freqüentamos juntos, aulas sobre partos naturais. Escolhemos as cores para o quarto de nossa mais nova moradora, pintamos de cor-de-rosa. Compramos um berço e brinquedos de bebê. Quando Debby nasceu, nós estávamos preparados. Deus também se alegrou com o nascimento de seu filho. Um coro de anjos anunciou a sua chegada. Pastores e magos aguardavam o nascimento dEle. Profecias datadas de séculos anteriores já proclamavam o nascimento do Messias. O profeta Isaías previu que Cristo nasceria de uma virgem. Moisés acrescentou que Ele seria da linhagem de Judá. O profeta Miquéias declarou que o Messias nasceria em Belém. Deus fez de tudo para preparar o mundo para o nascimento do salvador.

Aquele não foi um nascimento comum. Jesus foi concebido de forma sobrenatural pelo Espírito Santo no ventre de Maria. Ele não foi uma criança comum, Jesus foi o divino filho de Deus habitando num corpo humano, o divino Cristo humano. Aquela não foi uma missão comum. O anjo anunciou a José a missão de Jesus. Encontramos isso registrado desta forma em Mateus, capítulo 1, versículo 21:"ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles". A missão dEle foi claramente definida por Deus: salvar o seu povo dos pecados deles.

O bebê nascido em Belém numa manjedoura é o teu e o meu Salvador. O natal é um momento de celebrar, é um momento de se alegrar, é um momento de glorificar. Nas profundezas de nossos pecados, não fomos abandonados. Na escuridão de nossa rebeldia, existe uma luz. Aprisionada na escravidão dos pecados, existe esperança. Quando Jesus nasceu, o povo de seu tempo teve três reações ao nascimento dele. E existem três reações à Jesus hoje em dia. Os escribas e fariseus foram indiferentes ao seu nascimento, eles mal sabiam o que estava acontecendo. Mas que tragédia, ser indiferente ao Salvador do mundo. Infelizmente, existem algumas pessoas religiosas indiferentes a Cristo neste natal. Cristo ainda fica perdido em meio ao consumismo desta época. Ele fica coberto sob a árvore de natal repleta de belas embalagens de presentes. Ele fica esquecido em meio a tanta correria. Ele fica silenciado por festas em empresas, almoços e vários outros compromissos natalinos. Nos dias de hoje, ofuscou-se o Cristo eterno. Não que sejamos contra Ele, apenas ficamos indiferentes a Ele. Ocupados demais.

Houve quem se opusesse a Ele na época e há quem se oponha a Ele hoje. Herodes e os soldados romanos sentiram-se ameaçados pela perspectiva deste rei recém-nascido; sentiram-se ameaçados pelo desafio iminente de seu reinado. Eles planejaram matá-lo ao nascer. Herodes baixou um decreto mandando matar todos os meninos hebreus com menos de dois anos. Ele não arriscaria o seu trono. Existem pessoas hoje, nesta época de natal, que não renunciam ao trono de seus corações; elas batalham, elas lutam, elas brigam para manter o comando. Talvez você esteja lutando há anos. Você tem tentado comandar a sua própria vida. Você tem medo de entregar o comando a Ele. Por que não, nesta época de natal, abrir o seu coração para Ele? Por que não entregar a sua vida? Você pode confiar absolutamente nele. Ele encherá a sua vida de alegria e propósito neste natal.

Ainda existe uma terceira reação em relação a Jesus. Três reis do oriente levaram presentes a Ele. Esses homens sábios ficaram de joelhos e o adoraram. Homens sábios continuam a adorá-lo hoje. O evangelho de Mateus descreve isso nestas palavras, encontradas em Mateus capítulo 2, versículo 11: "…e, abrindo os seus tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra". O ouro é presente para um rei, ele representa todos os nossos bens materiais. Nós chegamos a Jesus através da adoração, sem hesitar em nada. Tudo que possuímos é um presente de Jesus. No natal, nós reconhecemos "Senhor, tudo o que eu tenho é teu. Tu és o rei dos reis". O incenso é presente para um sacerdote. Ele era usado pelo sacerdote no antigo santuário. No natal, nós devemos declarar: "Jesus, tu és meu sacerdote, tu intercedes por mim, tu és meu intercessor. Tu apresentas a tua justiça perfeita diante de todo o céu, no lugar de minhas falhas. Senhor, toda a minha adoração é para ti". A mirra é um presente para quem está à beira da morte. A mirra era um ungüento usado nos antigos rituais de sepultamento. No natal, nós reconhecemos: "Jesus, tu és meu salvador, tu és a criança inocente que nasceu, e meu justo redentor, que morreu por mim". Alegre-se hoje, é tempo de celebrar. Aceite-o como teu salvador, receba-o como teu sacerdote, reconheça-o como teu rei.

O maior presente já dado ao nosso mundo foi aquele bebê, o menino Jesus nascido numa manjedoura em Belém. E o maior presente com o qual podemos retribuir é com o nosso coração. Por que não, nesta época de natal, permitir que Cristo nasça no seu coração? Por que não permitir que Cristo, nascido dois mil anos atrás em Belém, nasça dentro de você neste natal? Por que não entregar-lhe o seu coração? Por que não entregar-lhe a sua vida neste momento enquanto oramos.

Amado Senhor, neste natal, glorificamos a ti por quem tu és. Não queremos ser indiferentes como os sacerdotes, não queremos ser hostis como os romanos. Queremos glorificá-lo como os reis magos. Tu és o nosso salvador que por amor concede a salvação. Tu és o nosso sacerdote que intercede junto ao Pai. Tu és o nosso rei, nosso Senhor dos Senhores, nosso libertador que em breve voltará. Hoje e sempre, damos glórias a Ti, em teu santo nome. Amém.

 

Mensagem de natal Kids4Truth: http://kids4truth.com/Dyna/ChristmasMessage/English.aspx

Windows Live Spaces X WordPress

 

O Windows Live não está mais redirecionando os links do extinto Windows Live Spaces para os respectivos locais no WordPress.

 

Quando foi feita a migração de um serviço para outro, havia um item que dizia que o redirecionamento seria feito pra sempre.

Pelo menos eu entendi assim.

Hoje, ao tentar acessar o blog pelo endereço www.jotapeah.com, fui redirecionado para meu e-mail, que deveria ser aberto por mail.jotapeah.com.

Será que agora só comprando o mapeamento de domínio do WP?

Mulher agora usa uniforme de biscate

Original: http://noticias.r7.com/blogs/o-provocador/2011/12/12/mulher-agora-usa-uniforme-de-biscate/

Estou ficando velho. Ou meu senso estético se aprimorou com o tempo. O que eu acho é que a moda para mulheres virou uma biscatice prêt-à-porter. A maioria das moçoilas cismou de usar uniforme de vadia.

Sei. Vou parecer um misógino falocrata, uma azêmola moralista, um beócio reacionário, um brucutu. Podem procurar no dicionário, estou dizendo coisas horríveis sobre mim mesmo. Admito que não foi fácil chegar a essa conclusão.

Sim, estou generalizando. Ok, me refiro àquelas produções das minas para baladas, festas e barzinhos. Nos ambientes corporativos e em alguns velórios a situação ainda não é tão crítica. Ainda. Há exceções.

Não aguento mais ver todas as moças bonitas ou feias ou medianas se vestindo como bailarinas do Faustão, marias-chuteiras, rainhas de bateria ou garotas de programa. Seja no show sertanejo, na churrascada de domingo ou no aniversário da prima. Tá dominado.

Estou falando sério. Podem me detonar. Eu adoro mulher, juro, apesar de usar piercing. E quebro o pescoço quando passa uma deusa na rua. Mas o fato é que a sensualidade feminina virou sinônimo de vulgaridade.

Prestem atenção, principalmente nas beldades mais jovens. Elas se vestem igual, parece uma clonagem, um surto coletivo, uma epidemia, uma lavagem cerebral. Ser sexy, libidinosa, visualmente disponível, agora é a regra.

A farda da mulherada tem um item inegociável: saias curtas, muito curtas, curtíssimas. Ou vestidos, shortinhos, sei lá. Pernas à mostra, com ou sem celulite. E bustos, e costas, e braços. Todas as curvas e retas precisam estar dentro do campo de visão dos transeuntes. Isso é vertigem.

Até no inverno esse padrão se impõe, graças às leggings e meias-calças de lã. “Biscate não sente frio” vai substituir “Ordem e Progresso” na bandeira nacional. Seremos a pátria das patricinhas? Ou o país das panicats?

Sim, porque o que muda é a qualidade e o preço dos poucos tecidos. Essa ascensão do corte das roupas não mais distingue classes sociais. Peruas e periguetes, tanto faz. E o governo não toma nenhuma providência!

Existe uma regra básica, meninas: mostrou uma parte do corpo, segura o resto. Não tem falha. Os marmanjos vão salivar discretamente, até por que babar é muito feio. Escancarou? O selvagem sexto sentido dos homens elimina os cinco anteriores. Nessa hora, ninguém presta.

É uma feira, uma exposição, uma gincana. Um Big Brother, uma Fazenda. Um açougue. Que a Sabrina Sato se vista do jeito dela, eu entendo, ela é paga para isso, merece cada centavo. Mulherão. Profissional.

Mas qual o cachê que as humanas mortais esperam receber ao final de um espetáculo exibicionista que se perde na multidão? Cadê plateia pra tanto show?

Foi para isso que as mulheres se rebelaram contra séculos de opressão? Rebeldia agora é ser discreta e elegante. Tem coisa mais bonita que a noiva nua e o seu véu?

Sexualidade é um diamante muito íntimo. Um corpo bonito merece ser procurado, escavado, explorado. Conquistado. Nenhum tesouro fica exposto a céu aberto.

Quer dar? Dê-se ao respeito. O primeiro beijo é na mão.

Santos não precisa de Neymar

Original: http://noticias.r7.com/blogs/o-provocador/2011/12/14/santos-nao-precisa-de-neymar/

Assisti à partida entre Santos e Kashiwa Reysol na esperança de ver o time brasileiro golear os japoneses. O jogo foi sonolento, ou eu que não estava mais acostumado a acordar tão cedo. Bocejei.

Ao ganhar de 3 a 1 de um time tão acanhado, melhor se preparar para o pior. O Barcelona e seus samurais não vão dar a moleza que se viu nesta quarta-feira. A depender apenas de jogadas individuais, o massacre catalão é inevitável.

É fundamental surpreendê-los. Ou com um honroso W.O, ou mudando a forma de o time jogar.  Será preciso frieza na análise e espírito de vencedor para tomar a decisão mais sábia: deixar o Neymar no banco.

Sem o astro pop, o Santos passa a ter alguma chance de ganhar. Um time não pode depender de um único jogador. É sinal de fraqueza. Viva Edu Dracena!

Vai ser humilhante para o Messi ver que o time adversário descartou aquele que é considerado o melhor jogador em atividade no Brasil. O argentino vai se sentir desprestigiado. Será um duro golpe em sua vaidade. Desconcertante.

O glorioso time da Vila Belmiro não precisa de Neymar para se tornar campeão do mundo pela terceira vez. Pelo contrário, os espanhóis que precisam dele em campo, para poder tripudiar sobre nossa arrogância futebolística.

Sem Neymar, estarão desmotivados, confusos, agredidos. Vão ficar pensando no Campeonato Espanhol. Aí, sim, serão surpreendidos novamente. Dá-lhe, Alan Kardec!

Sem a estrela santista em campo, sobrará o futebol coletivo, solidário, além da humildade fundamental para enfrentar quem reconhecidamente é superior. Um golpe de mestre. Imaginem a consagração.

Ter Neymar no banco é um privilégio que não pode ser desperdiçado. Um orgulho que nem todos podem ter.

http://noticias.r7.com/blogs/o-provocador/2011/12/14/santos-nao-precisa-de-neymar/

Cadê a Lei do Puxão de Orelha?

Só falta aos legisladores brasileiros regulamentarem a Lei da Gravidade. Ou proibirem o efeito estufa. Todas as outras inutilidades já estão sendo feitas. A Lei da Palmada é só mais um tapa na cara que levamos daqueles que deveriam estar fazendo algo de útil para a sociedade. Bando de desocupados.

Em vez de promover a reforma tributária ou política, modernizar o Código Penal e Processual, ou simplesmente botar pra funcionar as leis que já temos e são ignoradas, esses fanfarrões ficam gastando tempo, papel e tinta com nulidades redundantes.

Que mania de se meter na vida dos outros. Todos sabemos que, se um pai agredir ou maltratar seus filhos, já existem instrumentos suficientes para colocá-lo em cana e até mesmo tirar-lhe a guarda. Ninguém, mas ninguém mesmo, defende que crianças sejam espancadas, torturadas ou oprimidas pela família.

Para que essa frescura, então? O projeto que vai para o Senado chega ao requinte de proibir “ameaças e humilhações”. Pelo que entendi, “ameaçar” tirar a TV por uma semana da criança malcriada passou a ser crime? Exigir, em público, que ela pare de gritar e espernear num shopping não seria humilhante demais?

Se um bêbado acender um cigarro num bar, quem paga é dono do boteco. Se um menor de idade compra bebida alcoólica com documento falso, quem se ferra é o dono da padaria. E agora, se uma mãe bate no filho, quem é multado é a professora, o médico ou assistente social que não denunciar o caso à polícia.

É o Estado invadindo a vida privada de todos, mas sem tomar nenhuma providência ou assumir responsabilidades. Patifaria.

Com certeza, essa lei vai ser aprovada e sancionada. Como todas as outras que não exigem investimentos em seguranças, saúde ou educação.

Daqui uns anos, para dar a impressão de que esse país funciona, algum gênio vagabundo vai propor a Lei do Puxão de Orelha. Para que fique bem claro como somos todos uns imbecis.

Esse Barcelona é uma fraude

Original: http://noticias.r7.com/blogs/o-provocador/2011/12/18/esse-barcelona-e-uma-fraude/

 

Um time que detém 76% de posse de bola e só faz 4 gols não é tão bom assim. Essa equipe do Barcelona é um blefe. Uma ilusão coletiva.

Os catalães ficam tocando a bola de ladinho, de pé em pé, sem errar passes, até chegar na área adversária. E só. Não fazem um chuveirinho, não batem um único escanteio na área. Não deram um único chutão em 90 minutos!

É um futebol covarde, não se lançam desembestados, não correm feito loucos atrás da bola, só vão na certeza. Isso pode ser tudo, menos futebol. Nem falta os caras fazem!

É um tédio assistir a esses esnobes jogando. Cadê a raça? As bolas divididas, os carrinhos animais, as jogadas viris? Heim? Parece que estão jogando bocha, isso sim.

Os gols saem quase por acaso. Sem desespero, sem violência, sem emoção. Não deixam o adversário jogar, são uns fominhas. Falta espírito esportivo, solidariedade, sei lá. É muito irritante.

O Barcelona decretou o fim do futebol. É a morte da emoção, do espetáculo, da caixinha de surpresas. E tem gente que gosta!

Ainda bem que temos o Neymar, suas firulas inúteis e sua humildade vira-lata. O cidadão ganha R$ 2 milhões por mês e declara que “aprendemos a jogar futebol”. Não é comovente? Uma lição para o mundo.

Que esse time espanhol fique lá na Europa decadente e seus campeonatos de dois times. Não por acaso o Velho Continente está em crise, caindo pelas tabelas.

Tanto que nenhum time europeu jamais ganhou uma Libertadores da América. Fanfarrões!

A dura vida dos ateus em um Brasil cada vez mais evangélico

Original: http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/noticia/2011/11/dura-vida-dos-ateus-em-um-brasil-cada-vez-mais-evangelico.html

O diálogo aconteceu entre uma jornalista e um taxista na última sexta-feira. Ela entrou no táxi do ponto do Shopping Villa Lobos, em São Paulo, por volta das 19h30. Como estava escuro demais para ler o jornal, como ela sempre faz, puxou conversa com o motorista de táxi, como ela nunca faz. Falaram do trânsito (inevitável em São Paulo) que, naquela sexta-feira chuvosa e às vésperas de um feriadão, contra todos os prognósticos, estava bom. Depois, outro taxista emparelhou o carro na Pedroso de Moraes para pedir um “Bom Ar” emprestado ao colega, porque tinha carregado um passageiro “com cheiro de jaula”. Continuaram, e ela comentou que trabalharia no feriado. Ele perguntou o que ela fazia. “Sou jornalista”, ela disse. E ele: “Eu quero muito melhorar o meu português. Estudei, mas escrevo tudo errado”. Ele era jovem, menos de 30 anos. “O melhor jeito de melhorar o português é lendo”, ela sugeriu. “Eu estou lendo mais agora, já li quatro livros neste ano. Para quem não lia nada…”, ele contou. “O importante é ler o que você gosta”, ela estimulou. “O que eu quero agora é ler a Bíblia”. Foi neste ponto que o diálogo conquistou o direito a seguir com travessões.

– Você é evangélico? – ela perguntou.
– Sou! – ele respondeu, animado.
– De que igreja?
– Tenho ido na Novidade de Vida. Mas já fui na Bola de Neve.
– Da Novidade de Vida eu nunca tinha ouvido falar, mas já li matérias sobre a Bola de Neve. É bacana a Novidade de Vida?
– Tou gostando muito. A Bola de Neve também é bem legal. De vez em quando eu vou lá.
– Legal.
– De que religião você é?
– Eu não tenho religião. Sou ateia.
– Deus me livre! Vai lá na Bola de Neve.
– Não, eu não sou religiosa. Sou ateia.
– Deus me livre!
– Engraçado isso. Eu respeito a sua escolha, mas você não respeita a minha.
– (riso nervoso).
– Eu sou uma pessoa decente, honesta, trato as pessoas com respeito, trabalho duro e tento fazer a minha parte para o mundo ser um lugar melhor. Por que eu seria pior por não ter uma fé?
– Por que as boas ações não salvam.
– Não?
– Só Jesus salva. Se você não aceitar Jesus, não será salva.
– Mas eu não quero ser salva.
– Deus me livre!
– Eu não acredito em salvação. Acredito em viver cada dia da melhor forma possível.
– Acho que você é espírita.
– Não, já disse a você. Sou ateia.
– É que Jesus não te pegou ainda. Mas ele vai pegar.
– Olha, sinceramente, acho difícil que Jesus vá me pegar. Mas sabe o que eu acho curioso? Que eu não queira tirar a sua fé, mas você queira tirar a minha não fé. Eu não acho que você seja pior do que eu por ser evangélico, mas você parece achar que é melhor do que eu porque é evangélico. Não era Jesus que pregava a tolerância?
– É, talvez seja melhor a gente mudar de assunto…

O taxista estava confuso. A passageira era ateia, mas parecia do bem. Era tranquila, doce e divertida. Mas ele fora doutrinado para acreditar que um ateu é uma espécie de Satanás. Como resolver esse impasse? (Talvez ele tenha lembrado, naquele momento, que o pastor avisara que o diabo assumia formas muito sedutoras para roubar a alma dos crentes. Mas, como não dá para ler pensamentos, só é possível afirmar que o taxista parecia viver um embate interno: ele não conseguia se convencer de que a mulher que agora falava sobre o cartão do banco que tinha perdido era a personificação do mal.)

Chegaram ao destino depois de mais algumas conversas corriqueiras. Ao se despedir, ela agradeceu a corrida e desejou a ele um bom fim de semana e uma boa noite. Ele retribuiu. E então, não conseguiu conter-se:

– Veja se aparece lá na igreja! – gritou, quando ela abria a porta.
– Veja se vira ateu! – ela retribuiu, bem humorada, antes de fechá-la.
Ainda deu tempo de ouvir uma risada nervosa. 

 

A parábola do taxista me faz pensar em como a vida dos ateus poderá ser dura num Brasil cada vez mais evangélico – ou cada vez mais neopentecostal, já que é esta a característica das igrejas evangélicas que mais crescem. O catolicismo – no mundo contemporâneo, bem sublinhado – mantém uma relação de tolerância com o ateísmo. Por várias razões. Entre elas, a de que é possível ser católico – e não praticante. O fato de você não frequentar a igreja nem pagar o dízimo não chama maior atenção no Brasil católico nem condena ninguém ao inferno. Outra razão importante é que o catolicismo está disseminado na cultura, entrelaçado a uma forma de ver o mundo que influencia inclusive os ateus. Ser ateu num país de maioria católica nunca ameaçou a convivência entre os vizinhos. Ou entre taxistas e passageiros.

Já com os evangélicos neopentecostais, caso das inúmeras igrejas que se multiplicam com nomes cada vez mais imaginativos pelas esquinas das grandes e das pequenas cidades, pelos sertões e pela floresta amazônica, o caso é diferente. E não faço aqui nenhum juízo de valor sobre a fé católica ou a dos neopentecostais. Cada um tem o direito de professar a fé que quiser – assim como a sua não fé. Meu interesse é tentar compreender como essa porção cada vez mais numerosa do país está mudando o modo de ver o mundo e o modo de se relacionar com a cultura. Está mudando a forma de ser brasileiro.

Por que os ateus são uma ameaça às novas denominações evangélicas? Porque as neopentecostais – e não falo aqui nenhuma novidade – são constituídas no modo capitalista. Regidas, portanto, pelas leis de mercado. Por isso, nessas novas igrejas, não há como ser um evangélico não praticante. É possível, como o taxista exemplifica muito bem, pular de uma para outra, como um consumidor diante de vitrines que tentam seduzi-lo a entrar na loja pelo brilho de suas ofertas. Essa dificuldade de “fidelizar um fiel”, ao gerir a igreja como um modelo de negócio, obriga as neopentecostais a uma disputa de mercado cada vez mais agressiva e também a buscar fatias ainda inexploradas. É preciso que os fiéis estejam dentro das igrejas – e elas estão sempre de portas abertas – para consumir um dos muitos produtos milagrosos ou para serem consumidos por doações em dinheiro ou em espécie. O templo é um shopping da fé, com as vantagens e as desvantagens que isso implica.

É também por essa razão que a Igreja Católica, que em períodos de sua longa história atraiu fiéis com ossos de santos e passes para o céu, vive hoje o dilema de ser ameaçada pela vulgaridade das relações capitalistas numa fé de mercado. Dilema que procura resolver de uma maneira bastante inteligente, ao manter a salvo a tradição que tem lhe garantido poder e influência há dois mil anos, mas ao mesmo tempo estimular sua versão de mercado, encarnada pelos carismáticos. Como uma espécie de vanguarda, que contém o avanço das tropas “inimigas” lá na frente sem comprometer a integridade do exército que se mantém mais atrás, padres pop star como Marcelo Rossi e movimentos como a Canção Nova têm sido estratégicos para reduzir a sangria de fiéis para as neopentecostais. Não fosse esse tipo de abordagem mais agressiva e possivelmente já existiria uma porção ainda maior de evangélicos no país.

Tudo indica que a parábola do taxista se tornará cada vez mais frequente nas ruas do Brasil – em novas e ferozes versões. Afinal, não há nada mais ameaçador para o mercado do que quem está fora do mercado por convicção. E quem está fora do mercado da fé? Os ateus. É possível convencer um católico, um espírita ou um umbandista a mudar de religião. Mas é bem mais difícil – quando não impossível – converter um ateu. Para quem não acredita na existência de Deus, qualquer produto religioso, seja ele material, como um travesseiro que cura doenças, ou subjetivo, como o conforto da vida eterna, não tem qualquer apelo. Seria como vender gelo para um esquimó.

Tenho muitos amigos ateus. E eles me contam que têm evitado se apresentar dessa maneira porque a reação é cada vez mais hostil. Por enquanto, a reação é como a do taxista: “Deus me livre!”. Mas percebem que o cerco se aperta e, a qualquer momento, temem que alguém possa empunhar um punhado de dentes de alho diante deles ou iniciar um exorcismo ali mesmo, no sinal fechado ou na padaria da esquina. Acuados, têm preferido declarar-se “agnósticos”. Com sorte, parte dos crentes pode ficar em dúvida e pensar que é alguma igreja nova.

Já conhecia a “Bola de Neve” (ou “Bola de Neve Church, para os íntimos”, como diz o seu site), mas nunca tinha ouvido falar da “Novidade de Vida”. Busquei o site da igreja na internet. Na página de abertura, me deparei com uma preleção intitulada: “O perigo da tolerância”. O texto fala sobre as famílias, afirma que Deus não é tolerante e incita os fiéis a não tolerar o que não venha de Deus. Tolerar “coisas erradas” é o mesmo que “criar demônios de estimação”. Entre as muitas frases exemplares, uma se destaca: “Hoje em dia, o mal da sociedade tem sido a Tolerância (em negrito e em maiúscula)”. Deus me livre!, um ateu talvez tenha vontade de dizer. Mas nem esse conforto lhe resta.

Ainda que o crescimento evangélico no Brasil venha sendo investigado tanto pela academia como pelo jornalismo, é pouco para a profundidade das mudanças que tem trazido à vida cotidiana do país. As transformações no modo de ser brasileiro talvez sejam maiores do que possa parecer à primeira vista. Talvez estejam alterando o “homem cordial” – não no sentido estrito conferido por Sérgio Buarque de Holanda, mas no sentido atribuído pelo senso comum.

Me arriscaria a dizer que a liberdade de credo – e, portanto, também de não credo – determinada pela Constituição está sendo solapada na prática do dia a dia. Não deixa de ser curioso que, no século XXI, ser ateu volte a ter um conteúdo revolucionário. Mas, depois que Sarah Sheeva, uma das filhas de Pepeu Gomes e Baby do Brasil, passou a pastorear mulheres virgens – ou com vontade de voltar a ser – em busca de príncipes encantados, na “Igreja Celular Internacional”, nada mais me surpreende.

Se Deus existe, que nos livre de sermos obrigados a acreditar nele.

Dicas para melhorar seus downloads por Torrent

Leia o original em: http://brunofin.blogspot.com/2011/03/dicas-para-melhorar-seus-downloads-por.html

 

Os trackers são servidores responsáveis em dizer ao seu programa de Torrent o IP dos seeders e leechers. Quanto mais trackers, mais seeders e leechers. Todo Torrent precisa de pelo menos um tracker. Como o mesmo arquivo .torrent normalmente acaba sendo enviado para mais de um site de Torrents, o .torrent que você tem pode não ter os mesmos trackers que o arquivo .torrent da mesma coisa que você está tentando baixar em outro site. Porém, todos os Torrents possuem uma identificação única, que garante que este Torrent é o mesmo Torrent que outro, ou não. Essa identificação é o seu Hash, e existe um site, o torrentz.eu, que trabalha de forma semelhante ao Google, procurando em todos os grandes sites de Torrent pelo mesmo Torrent e juntando sua lista de trackers, criando assim um tracker centralizado.
Buscar mais trackers para o seu Torrent neste site é bem simples na verdade, basta você pegar a Hash do seu torrent e colocar no campo de busca.
Para fazer isso pelo Transmission, basta clicar duas vezes no Torrent da lista de Torrents para abrir suas propriedades, e logo na primeira aba, Informações, vai estar a Hash dele.

Basta clicar com o botão direito e copiar.
Com a Hash em mãos, vá até o torrentz.eu e a cole no campo de busca.

Irá aparecer uma página mostrando vários sites em que você pode baixar este .torrent, e mais a baixo irá aparecer uma lista chamada Torrent Tracker, com um pequeno link embaixo dizendo “get a uTorrent compatible list here”.

Caracteres especiais e seus atalhos no teclado

Fonte:  http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20070602070405AA1WVaP

 

Alt + 1= ☺
Alt + 2= ☻
Alt + 3= ♥
Alt + 4= ♦
Alt + 5= ♣
Alt + 6= ♠
Alt + 7= •
Alt + 8= ◘
Alt + 9= ○
Alt + 10= ◙
Alt + 11= ♂
Alt + 12= ♀
Alt + 13= ♪
Alt + 14= ♫
Alt + 15= ☼
Alt + 16= ►
Alt + 17= ◄
Alt + 18= ↕
Alt + 19= ‼
Alt + 20= ¶
Alt + 21= §
Alt + 22= ▬
Alt + 23= ý
Alt + 24= ↑
Alt + 25= ↓
Alt + 26= →
Alt + 27= ←
Alt + 28= ∟
Alt + 29= ↔
Alt + 30= ▲
Alt + 31= ▼
Alt + 32=
Alt + 33= !
Alt + 34= "
Alt + 35= #
Alt + 36= $
Alt + 37= %
Alt + 38= &
Alt + 39= ‘
Alt + 40= (
Alt + 41= )
Alt + 42= *
Alt + 43= +
Alt + 44= ,
Alt + 45= –
Alt + 46= .
Alt + 47= /
Alt + 48= 0
Alt + 49= 1
Alt + 50= 2
Alt + 51= 3
Alt + 52= 4
Alt + 53= 5
Alt + 54= 6
Alt + 55= 7
Alt + 56= 8
Alt + 57= 9
Alt + 58= :
Alt + 59= ;
Alt + 60= <
Alt + 61= =
Alt + 62= >
Alt + 63= ?
Alt + 64= @
Alt + 65= A
Alt + 66= B
Alt + 67= C
Alt + 68= D
Alt + 69= E
Alt + 70= F
Alt + 71= G
Alt + 72= H
Alt + 73= I
Alt + 74= J
Alt + 75= K
Alt + 76= L
Alt + 77= M
Alt + 78= N
Alt + 79= O
Alt + 80= P
Alt + 81= Q
Alt + 82= R
Alt + 83= S
Alt + 84= T
Alt + 85= U
Alt + 86= V
Alt + 87= W
Alt + 88= X
Alt + 89= Y
Alt + 90= Z
Alt + 91= [
Alt + 92= \
Alt + 93= ]
Alt + 94= ^
Alt + 95= _
Alt + 96= `
Alt + 97= a
Alt + 98= b
Alt + 99= c
Alt + 100= d
Alt + 101= e
Alt + 102= f
Alt + 103= g
Alt + 104= h
Alt + 105= i
Alt + 106= j
Alt + 107= k
Alt + 108= l
Alt + 109= m
Alt + 110= n
Alt + 111= o
Alt + 112= p
Alt + 113= q
Alt + 114= r
Alt + 115= s
Alt + 116= t
Alt + 117= u
Alt + 118= v
Alt + 119= w
Alt + 120= x
Alt + 121= y
Alt + 122= z
Alt + 123= {
Alt + 124= |
Alt + 125= }
Alt + 126= ~
Alt + 127= ⌂
Alt + 128= Ç
Alt + 129= ü
Alt + 130= é
Alt + 131= â
Alt + 132= ä
Alt + 133= à
Alt + 134= å
Alt + 135= ç
Alt + 136= ê
Alt + 137= ë
Alt + 138= è
Alt + 139= ï
Alt + 140= ¥
Alt + 141= ì
Alt + 142= Ä
Alt + 143= Å
Alt + 144= É
Alt + 145= æ
Alt + 146= Æ
Alt + 147= ô
Alt + 148= ö
Alt + 149= ò
Alt + 150= û
Alt + 151= ù
Alt + 152= ÿ
Alt + 153= Ö
Alt + 154= Ü
Alt + 155= ø
Alt + 156= £
Alt + 157= Ø
Alt + 158= ×
Alt + 159= ƒ
Alt + 160= á
Alt + 161= í
Alt + 162= ó
Alt + 163= ú
Alt + 164= ñ
Alt + 165= Ñ
Alt + 166= ª
Alt + 167= º
Alt + 168= ¿
Alt + 169= ®
Alt + 170= ¬
Alt + 171= ½
Alt + 172= ¼
Alt + 173= ¡
Alt + 174= «
Alt + 175= »
Alt + 176= ░
Alt + 177= ▒
Alt + 178= ▓
Alt + 179= │
Alt + 180= ┤
Alt + 181= Á
Alt + 182= Â
Alt + 183= À
Alt + 184= ©
Alt + 185= ╣
Alt + 186= ║
Alt + 187= ╗
Alt + 188= ╝
Alt + 189= ¢
Alt + 190= ¥
Alt + 191= ┐
Alt + 192= └
Alt + 193= ┴
Alt + 194= ┬
Alt + 195= ├
Alt + 196= ─
Alt + 197= ┼
Alt + 198= ã
Alt + 199= Ã
Alt + 200= ╚
Alt + 201= ╔
Alt + 202= ╩
Alt + 203= ╦
Alt + 204= ╠
Alt + 205= ═
Alt + 206= ╬
Alt + 207= ¤
Alt + 208= ð
Alt + 209= Ð
Alt + 210= Ê
Alt + 211= Ë
Alt + 212= È
Alt + 213= ı
Alt + 214= Í
Alt + 215= Î
Alt + 216= Ï
Alt + 217= ┘
Alt + 218= ┌
Alt + 219= █
Alt + 220= ▄
Alt + 221= ¦
Alt + 222= Ì
Alt + 223= ▀
Alt + 224= Ó
Alt + 225= ß
Alt + 226= Ô
Alt + 227= Ò
Alt + 228= õ
Alt + 229= Õ
Alt + 230= µ
Alt + 231= þ
Alt + 232= Þ
Alt + 233= Ú
Alt + 234= Û
Alt + 235= Ù
Alt + 236= ý
Alt + 237= Ý
Alt + 238= ¯
Alt + 239= ´
Alt + 240= ­­
Alt + 241= ±
Alt + 242= ‗
Alt + 243= ¾
Alt + 244= ¶
Alt + 245= §
Alt + 246= ÷
Alt + 247= ¸
Alt + 248= °
Alt + 249= ¨
Alt + 250= •
Alt + 250= •
Alt + 251= ¹
Alt + 252= ³
Alt + 253= ²
Alt + 254= ■
Alt + 255=
Alt + 256=
Alt + 257= ☺
Alt + 258= ☻
Alt + 259= ♥
Alt + 260= ♦
Alt + 261= ♣
Alt + 262= ♠
Alt + 263= •
Alt + 264= ◘
Alt + 265= ○
Alt + 266= ◙
Alt + 267= ♂
Alt + 268= ♀
Alt + 269= ♪
Alt + 270= ♫
Alt+15= ¤
Alt+79= O
Alt+129= ü
Alt+179= ¦
Alt+229= Õ
Alt+20= ¶
Alt+80= P
Alt+130= é
Alt+180= ¦
Alt+230= µ
Alt+21= §
Alt+81= Q
Alt+131= â
Alt+181= Á
Alt+231= þ
Alt+32=espaço
Alt+82= R
Alt+132= ä
Alt+182= Â
Alt+232= Þ
Alt+33= !
Alt+83= S
Alt+133= à
Alt+183= À
Alt+233= Ú
Alt+34="
Alt+84= T
Alt+134= å
Alt+184= ©
Alt+234= Û
Alt+35= #
Alt+85= U
Alt+135= ç
Alt+185= ¦
Alt+235= Ù
Alt+36= $
Alt+86= V
Alt+136= ê
Alt+186= ¦
Alt+236= ý
Alt+37= %
Alt+87= W
Alt+137= ë
Alt+187= +
Alt+237= Ý
Alt+38= &
Alt+88= X
Alt+138= è
Alt+188= +
Alt+238= ¯
Alt+39= ‘
Alt+89= Y
Alt+139= ï
Alt+189= ¢
Alt+239= ´
Alt+40= (
Alt+90= Z
Alt+140= î
Alt+190= ¥
Alt+240= ­
Alt+41= )
Alt+91= [
Alt+141= ì
Alt+191= +
Alt+241= ±
Alt+42= *
Alt+92= \
Alt+142= Ä
Alt+192= +
Alt+242= _
Alt+43= +
Alt+93= ]
Alt+143= Å
Alt+193= –
Alt+243= ¾
Alt+44= ,
Alt+94= ^
Alt+144= É
Alt+194= –
Alt+244= ¶
Alt+45= –
Alt+95= _
Alt+145= æ
Alt+195= +
Alt+245= §
Alt+46= .
Alt+96= `
Alt+146= Æ
Alt+196= –
Alt+246= ÷
Alt+47= /
Alt+97= a
Alt+147= ô
Alt+197= +
Alt+247= ¸
Alt+48= 0
Alt+98= b
Alt+148= ö
Alt+198= ã
Alt+248= °
Alt+49= 1
Alt+99= c
Alt+149= ò
Alt+199= Ã
Alt+249= ¨
Alt+50= 2
Alt+100= d
Alt+150= û
Alt+200= +
Alt+250= ·
Alt+51= 3
Alt+101= e
Alt+151= ù
Alt+201= +
Alt+251= ¹
Alt+52= 4
Alt+102= f
Alt+152= ÿ
Alt+202= –
Alt+252= ³
Alt+53= 5
Alt+103= g
Alt+153= Ö
Alt+203= –
Alt+253= ²
Alt+54= 6
Alt+104= h
Alt+154= Ü
Alt+204= ¦
Alt+254= _
Alt+55= 7
Alt+105= i
Alt+155= ø
Alt+205= –
Alt+56= 8
Alt+106= j
Alt+156= £
Alt+206= +
Alt+57= 9
Alt+107= k
Alt+157= Ø
Alt+207= ¤
Alt+58= :
Alt+108= l
Alt+158= ×
Alt+208= ð
Alt+59= ;
Alt+109= m
Alt+159= ƒ
Alt+209= Ð
Alt+60= <
Alt+110= n
Alt+160= á
Alt+210= +
Alt+61= =
Alt+111= o
Alt+161= í
Alt+211= Ë
Alt+62= >
Alt+112= p
Alt+162= ó
Alt+212= È
Alt+145= æ
Alt+195= +
Alt+245= §
Alt+46= .
Alt+96= `
Alt+146= Æ
Alt+196= –
Alt+246= ÷
Alt+47= /
Alt+97= a
Alt+147= ô
Alt+197= +
Alt+247= ¸
Alt+48= 0
Alt+98= b
Alt+148= ö
Alt+198= ã
Alt+248= °
Alt+49= 1
Alt+99= c
Alt+149= ò
Alt+199= Ã
Alt+249= ¨
Alt+50= 2
Alt+100= d
Alt+150= û
Alt+200= +
Alt+250= ·
Alt+51= 3
Alt+101= e
Alt+151= ù
Alt+201= +
Alt+251= ¹
Alt+52= 4
Alt+102= f
Alt+152= ÿ
Alt+202= –
Alt+252= ³
Alt+53= 5
Alt+103= g
Alt+153= Ö
Alt+203= –
Alt+253= ²
Alt+54= 6
Alt+104= h
Alt+154= Ü
Alt+204= ¦
Alt+254= _
Alt+55= 7
Alt+105= i
Alt+155= ø
Alt+205= –
Alt+56= 8
Alt+106= j
Alt+156= £
Alt+206= +
Alt+57= 9
Alt+107= k
Alt+157= Ø
Alt+207= ¤
Alt+58= :
Alt+108= l
Alt+158= ×
Alt+208= ð
Alt+59= ;
Alt+109= m
Alt+159= ƒ
Alt+209= Ð
Alt+60= <
Alt+110= n
Alt+160= á
Alt+210= +
Alt+61= =
Alt+111= o
Alt+161= í
Alt+211= Ë
Alt+62= >
Alt+112= p
Alt+162= ó
Alt+212= È