JotaPêAh!

A esposa de C. S. Lewis

em 26/09/2010 14:59:15
O amor tem sempre o momento certo para acontecer do jeito certo. C. S. Lewis foi muito paciente com a expectativa que qualquer pessoa tem quanto a encontrar o amor de sua vida.

Ele era muito dedicado às atividades como professor e ocupou parte de sua vida (32 anos) cuidando da senhora Moore. Não teve filhos de sangue, mas gerou uma multidão de “filhos” – seguidores da mensagem de suas obras. E não ficou sozinho, nos últimos anos de vida conheceu o seu grande amor e realizou uma das mais belas histórias reais de amor já acontecidas.

Na década de 50, Lewis conheceu pessoalmente a escritora norte-americana Joy Davidman Gresham (ou Joy Gresham, por causa do primeiro marido), com a qual já se correspondia há algum tempo. Ela, que havia acabado de chegar à Inglaterra com seus dois filhos, David e Douglas, estava separada do marido alcoólatra e violento para tentar uma nova vida. Lewis tornou-se um grande amigo e amparo, inclusive se casando com ela no civil para que pudesse viver legalmente no país.

Pouco tempo depois, Joy foi internada reclamando de dores nos quadris. Constatou-se que se tratava de um câncer ósseo terminal.

A relação deles tomou novos rumos no período em que Lewis a acompanhou no hospital. O que era uma amizade se revelou outro tipo de amor e em dezembro de 1956, quando ele tinha 58 anos, realizaram o casamento religioso no próprio quarto de internação.

O câncer teve um período de recuo que propiciou ao casal viver em casa e inclusive fazer uma viagem pela Grécia e pelo Mar Egeu. Em 1960 houve uma recaída forte, que culminou no falecimento de Joy. O sofrimento causado pela perda de um amor tão recente redundou em um de seus últimos clássicos, Anatomia de uma Dor.

Lewis cuidou dos dois filhos de Joy até o final de sua vida, sendo que um deles, Douglas Gresham, é hoje um dos defensores de seu legado por meio dos livros e na produção da série As Crônicas de Nárnia para os cinemas.

Foram apenas quatro anos juntos e, depois de três anos da morte de Joy, Lewis faleceu. Era realmente uma história de amor, muito sofrida, mas intensa. Um período que trouxe grande felicidade e realização aos dois. E mais um exemplo para nós quanto aos caminhos que o amor pode percorrer.

A história da relação de Lewis com Joy foi adaptada por William Nicholson como filme para a emissora de TV BBC em 1983, com o título Shadowlands (Terra das Sombras). Em 1993 foi regravado para os cinemas com o mesmo título, dirigido por Richard Attenborough e interpretado por Anthony Hopkins (como C. S. Lewis). 

Sérgio Fernandes
Publicitário, criador do fã-clube Mundo Nárnia e escritor do livro Manual da Viagem do Peregrino da Alvorada. E-mail: falecom@sergiofernandes.com.br


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: