O crime continuado do PT

Foi preciso uma decisão judicial, tomada na terça-feira, para que o
vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge Caldas Pereira, pudesse exercer
o direito elementar de acesso ao inquérito instaurado na
Corregedoria-Geral da Receita para apurar a devassa nas suas
declarações de renda – cópias das quais foram parar em mãos de pessoas
ligadas à campanha da candidata petista Dilma Rousseff. E só assim o
País ficou sabendo, já tardiamente, que o sigilo fiscal de outros
contribuintes também foi quebrado na mesma ocasião, com a mesma sórdida
intenção de atingir o candidato tucano ao Planalto, José Serra.

Em 16 minutos, na hora do almoço do dia 8 de outubro de 2009, na
delegacia do Fisco em Mauá, na Grande São Paulo, foram abertas e
impressas as declarações do ministro das Comunicações no governo
Fernando Henrique, Luiz Carlos Mendonça de Barros; do arrecadador
informal da campanha de Serra ao Senado em 1994 e em seguida diretor da
área internacional do Banco do Brasil, Ricardo Sérgio de Oliveira; e do
empresário Gregorio Marin Preciado, casado com uma prima de Serra.

Os sistemas de controle da Receita identificaram como pertencendo à
analista fiscal Antonia Aparecida Neves Silva a senha utilizada para a
invasão no computador da servidora Adeilda Ferreira dos Santos.
Antonia, contra quem foi aberto processo administrativo, admitiu ter
passado a senha a Adeilda e a outra colega, Ana Maria Caroto Cano.
Todas negam envolvimento no caso. O processo depende de uma perícia que
não tem data para terminar. É incerto igualmente se aparecerão os nomes
dos autores e mandantes do crime. Se aparecerem, não será antes da
eleição.

O que parece fora de dúvida é que a devassa foi ordenada de dentro
do apparat petista para a formação de um dossiê a ser eventualmente
usado contra Serra, conforme revelado pela Folha de S.Paulo, que teve
acesso ao material. Na campanha de 2006, quando ele concorria ao
governo paulista, o coordenador da campanha do então candidato ao
Senado pelo PT, Aloizio Mercadante, envolveu-se com a malograda
tentativa de um grupo de companheiros de comprar uma papelada para
atacar o tucano. Eles foram presos em flagrante com uma bolada de
dinheiro. O presidente Lula limitou-se a chamá-los de aloprados.

Não se sabe se desta vez também há dinheiro envolvido na sujeira
afinal desmascarada. Ainda que haja, deve ter prevalecido na montagem
da operação o mais autêntico espírito partidário do vale-tudo para
tomar e permanecer no poder, como, por palavras e atos, o próprio Lula
ensina sem cessar à companheirada. Esse espírito está na origem do
mensalão, do escândalo dos aloprados e das demais baixarias que vieram
à tona nestes 8 anos. Do PT se pode dizer, parafraseando uma citação
clássica, que nada esqueceu e nada deixou de aprender em matéria de
vilania política.

Aprendeu, sobretudo, que os fins não apenas justificam os meios, mas
dependem de meios eficazes para ser alcançados. O principal deles é o
controle – no sentido mais raso do termo – da máquina pública. Dos
muitos objetivos a que serve o aparelhamento do Estado, um dos mais
importantes é criar um disseminado e leal “exército secreto”, como já
se escreveu nesta página, pronto para fazer os trabalhos sujos que dele
se demandem. A ordem tanto pode partir dos mais altos escalões do
governo ou do partido como resultar da iniciativa de indivíduos e
grupos que conhecem as regras do jogo na casa e sabem a quem recorrer
numa ou em outra circunstância.

No caso da violação do sigilo fiscal de pessoas ligadas ao PSDB e a
Serra, é até possível que Dilma só viesse a saber dela quando já estava
em curso ou depois de escancarada. O que teria sido possível graças a
inconfidências de membros da campanha em conflito com o setor de onde
parece ter partido a decisão de arrombar o cofre de informações da
Receita. Mas, na ordem das coisas que contam, o essencial, o
assustador, é que se constituiu no governo uma rede de agentes que a
qualquer momento pode funcionar como uma organização criminosa.

Essa estrutura, que se nutre do próprio Estado em que se encastelou,
só deverá se fortalecer com a provável vitória da candidata
presidencial do PT.

Fonte: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100827/not_imp601063,0.php

Anúncios

Uma delegacia especializada

Conheci o cara quando sentei no balcão de um bar
pra tomar uma cerveja. O sujeito usava um terno amarfanhado, era
grisalho e estava com  cara de cansado. Ele puxou conversa:

– Tomando uma cervejinha, no final da tarde?

– É bom uma cerva pra relaxar…- respondi.

– Nem me fale. Eu tô morto! Cansado a beça, a vida não tá fácil…

Achei que ele ia começar a explicar porque a vida dele não estava
fácil, já tinha me arrependido de dar papo pro sujeito, mas quando eu
já estava engrenando a primeira pra me mandar, o cara me fez uma
pergunta:

– Você é humorista , certo?

– É, é veradade, sou humorista.

– Eu também trabalho com humor…

– É? – estranhei que um sujeito com cara de policial como ele pudesse ser humorista.

– Eu não sou humorista – ele tratou logo de dizer.

– Não? Mas você não disse….

– Eu trabalho com humorismo, mas não exerço. Até gosto de ouvir umas piadas, mas não sei contar.

– E você faz o quê nessa área? – perguntei curioso.

– Eu sou policial.

– Ah… desculpa, mas o que um policial tem a ver com humor?

– No meu caso, tudo! Vou te explicar: há algum tempo o número de
humoristas tem aumentado bastante, muita gente fazendo shows de
stand-up, programas de TV e na internet então nem se fala, todo dia
surgia um blog de humor…

– Sim, é até verdade, isso é ótimo, nada mais sadio do que o humor…

– É… mas esse pessoal começou a dar trabalho pra polícia. De repente
começou a aparecer humorista dando queixa de que a piada dele foi
twittada por  outro sem crédito, comediante reclamando que seu esquete
foi copiado no show de stand-up do outro… outro garantindo que sua
piada saiu antes na internet e foi roubada…

– Engraçado…

– É , eu confesso que no início também achei … mas então a coisa
começou a crescer. Todo dia vários casos, dezenas , centenas , até que
a polícia  não conseguia mais dar conta … o secretário de segurança
teve que tomar uma providência… criou uma delegacia só pra esses casos:
A Delegacia Especializada em Crimes do Humorismo. E eu sou o delegado
Soares, sou o  titular dessa delegacia.

– Nossa, existe isso?

– Quando fui chamado para a função, achei até divertido. Como falei,
gosto de piadas, achei que ia escutar várias piadas e resolver casos
simples… Mas a coisa era muito pior do que pensei, barra pesada…

–  Que isso? É claro que um humorista pode ficar puto com outro por ter tido uma piada roubada, mas…

– Muitos humoristas não tem escrúpulos quando o negócio é fazer rir,
roubar piada é só o começo.  Hoje mesmo estou investigando um caso
terrível…

– Um caso terrível? O que pode ser, o seqüestro de uma piada velha?

– Vocês humoristas estão sempre brincando! Eu estou falando de coisa séria ! Assassinato, meu caro!

– Tudo bem , é chato, mas um humorista é uma pessoa como qualquer outra, pode fazer coisas erradas…

– Coisas erradas? – o cana gritou, me assustando – Você acha que um
comediante morrrer no palco , antes de acabar uma piada, é só uma coisa
errada? Isso é sórdido, meu caro!

– Calma, mas o cara morreu no palco … ele pode ter tido um ataque!

– Veneno! Foi envenenado! O comediante era um gordo que fazia
standup com piadas sobre gordos.Antes de entrar no palco ele comeu um
cachorro-quente no camarim, entrou no palco e pum, cai duro…

– Mas como você sabe que alguém o matou?

– Uma mensagem deixada no camarim: “esse não rouba mais piada de gordo!”

– Então é só seguir a pista, procurar um humorista gordo e…

– É , eu sei, e é isso que estou fazendo. Mas existem milhares de
humoristas gordos que fazem piada sobre a própria obesidade!  Mais até
do que baixinhos que fazem piadas com a altura ou feios que brincam com
a própria incapacidade com o sexo oposto…

– É , realmente é um caso difícil… agora estou entendendo porque
você precisou entrar nesse bar e tomar uma cerveja….é preciso relaxar
mesmo…

– Eu não entrei aqui pra tomar uma cerveja e relaxar…- o policial se
levantou  –  Entrei atrás de você. Você é humorista. E além disso,
está acima do peso… – o sujeito me mostrou uma carteira de policial –
precisamos ter uma conversinha  na delegacia…o senhor  poderia me
acompanhar por favor…

Fonte: http://tvglobo.casseta.globo.com/beto-silva/2010/07/26/uma-delegacia-especializada/

Etiqueta 2.0

Cruzei com o amigo na rua. O cara fingiu que não me viu , passou direto sem me cumprimentar. Corri atrás dele. 

– Ei,  o que houve? Tu não me reconhece mais?

– Eu não falo mais contigo. Você me deu unfollow no twitter.

– Que isso , meu irmão? Só por isso? Desculpa, eu dou follow de novo e tudo bem.

– Não, não é assim que funciona. Você me deu unfollow, isso é muito grave!

– Peraí isso não tem a menor importância… Quer saber ?  Eu em lembrava que tinha parado de te seguir…

–  Mas eu lembro! E eu achei isso uma afronta!  Eu só sou seu amigo fora da rede,  na rede tu me acha um merda!

– Imagina… não tem nada a ver… Tá, eu admito  eu dei unfollow…

– Arrá, confessa, então!

– Foi mal! Você tava sacaneando demais o meu time, eu fiquei puto, dei unfollow, mas é temporário.

– Não! Eu sou seu amigo! Unfollow em amigo, nem temporário! Por que você não me mandou tomar no cu ?

– Porque eu não queria partir pra ignorância … Calma, cara, é só uma
rede social, eu continuo seu amigo no facebook, por exemplo.

– Mas eu não! Não te sigo mais no twitter nem sou mais seu amigo no facebook!

– Peraí, dar unfollow no twitter tudo bem, mas deixar de ser amigo no facebook é sacanagem! Isso é sério!

– Ué, você não disse que era só uma rede social?

– Peraí, o Facebook é diferente!

– É a mesma merda! Tu não me segue mais no twitter e eu não sou mais seu amigo no Facebook!

– Calma, vamos conversar… eu volto a te seguir e tu volta a ser meu amigo no Facebook, beleza?

– Nem adianta tentar me seguir de novo, que eu te dei um block!

– Block! Isso é declaração de guerra!

– Ah .eu fiquei muito puto da vida com esse unfollow…  putaço! Pra
mim foi como se você cruzasse na rua e fingisse que não me viu só pra
não  me cumprimentar.

– Porra, foi justamente o que você fez comigo agora!

– Mas fiz porque você me deu unfollow!

– Ah, vai tomar no cu!

– Calma, também não precisa partir pra ignorância!

 

Fonte: http://tvglobo.casseta.globo.com/beto-silva/2010/08/24/etiqueta-2-0/

Pra frente e pra cima – Mensagens aos jovens, página 95

Quem me dera poder pintar a beleza da vida cristã!
Começando com a manhã da vida, dirigidos pelas leis da natureza e de Deus, o cristão prossegue sempre para frente e para cima, dia a dia aproximando-se mais de seu lar celeste, onde o aguardam a coroa da vida e um novo nome, “que ninguém conhece, a não ser quem o recebe”. Apoc. 2:17

Senhor de nossas prioridades

“Um escravo não pode servir a dois donos, pois vai rejeitar um e preferir o outro; ou será fiel a um e desprezerá o outro. Vocês não podem servir a Deus e também servir ao dinheiro.” (Luc. 16:13)

É horade perceber a realidade. Como cristãos, admiramos os pseudo-deuses – a TV, o rádio, a música secular, etc. Só reconhecemos o único Deus verdadeiro quando a vida fica azeda. Num mundo de tentação, recebemos a benção do livre arbítrio. Não podemos servir tanto a Deus quanto ao mundo, portanto precisamos compreender que há uma escolha a ser feita que muda toda a vida.

Temos a tendência de fazer malabarismos com nossas prioridades, dando atenção ao mundo e deixando Deus para momentos mais convenientes. Talvez tenhamos perdido o Senhor dentro da bagagem da nossa vida, mas tudo o que é necessário é tempo para esvaziar a mala e começar de novo. É hora de você refazer a mala das suas prioridades, deixando o Senhor por cima. Conserve-O por perto enquanto você faz a viagem da vida. Nunca é tarde demais para coroar novamente a Deus como Rei de nossa vida.

Em tudo o que fizermos, escolhamos servir a Deus. Podemos ir ao pastor ou ao líder de jovens e lhe perguntar como fazemos para colocar a Deus em primeiro lugar, ou melhor ainda, podemos simplesmente perguntar ao Senhor. Ele nos fala através da Bíblia e nos lembra que mesmo nesta época de controvérsias, quando outros deuses fazem com que nos desviemos do foco, podemos realizar grandes coisas se escolhermos a Ele antes que as riquezas deste mundo.

Como cristãos, é nosso dever buscar ao Senhor em todas as ocasiões. A devoção vai além de “Orei de manhã e antes de deitar”. Precisamos viver em contínuo reconhecimento do Senhor, recebendo assim direção e compreensão sem igual. Há grandes recompensas para aqueles que consistentemente colocam a Deus em primeiro lugar.

Texto de domingo, 3 de julho de 2005.

Errar é humano

É licitatório ou licitatótio?
O erro de “digitação” no Termo de Homologação do JFS ficou sem ser notado até 25/08/2010.
Três anos. Desde a 5ª parcela de 2007.
O erro foi introduzido juntamente com o código em VBA que gera o Termo.
O problema agora é lembrar a senha do projeto para corrigir o erro.
A prova do crime?
Tá na mão.

Três vivas para Aliane.
HIP HIP HURRA.