Ócio criativo

Depois de tentar dormir e não conseguir, resolvi, pra passar o tempo, fazer o Doodle da copa.
Duas horas e meia depois, aqui está o resultado.
As mudanças incluem:
– a clássica substituição do “o”; nesse caso, por uma bola amarela, com “Brasil” escrito em verde;
– as pernas abertas do Zakumi (o mascote) formando o acento circunflexo;
– e parte da logomarca da copa (a pessoinha dando uma “bicicleta”) formando o ponto de exclamação.
Bom, bom, bom, não tá. Mas tá bom.
Vou ver se agora já consigo dormir, depois da missão cumprida. 



Anúncios

Memória

Entender
os mecanismos de funcionamento da memória humana constitui

um dos grandes desafios da ciência moderna. Já na
tentativa
de definição o tema mostra sua complexidade. Isso
porque o conceito de memória varia de acordo com a
especialidade
no qual será aplicado. No entanto, uma das definições
mais usadas é a de memória como capacidade de reter
e manipular informações adquiridas anteriormente.

Para
José Lino Bueno, professor do Departamento de Psicologia
e Educação da Universidade de São Paulo (USP)
de Ribeirão Preto, a memória é um conjunto
de procedimentos que permite manipular e compreender o
mundo, levando
em conta o contexto atual e as experiências individuais,
recriando
esse mundo por meio de ações da imaginação.

“O
que fica armazenado é um ‘sumário interpretativo’
de toda nossa experiência passada. A capacidade dos
neurônios
de se transformar, adaptando sua estrutura ao contexto
(plasticidade
neural), seria o suporte desse funcionamento da memória.”,

explica o pesquisador.

Essa
capacidade de memorização não é exclusiva
dos seres humanos. Pesquisas têm demonstrado a existência
de mecanimos de memória em animais como pombos e
chimpanzés.
Para Bueno, a realização de experimentos com primatas
pode ser útil para a compreensão de propriedades da
memória humana. Segundo ele, há semelhanças
que não podem ser ignoradas, mas não se sabe exatamente
quais os limites da capacidade de processamento dos
animais. “Sabe-se,
por exemplo, que chimpanzés e babuínos podem ser capazes
de usar mapas espaciais; o que se investiga, ainda, é até
onde vai a capacidade desses animais de processamento de
imagens
mais abstratas, simbólicas e não icônicas”.

O pesquisador
lembrou ainda que alguns estudos mostraram que pombos
podem armazenar
até 320 imagens de slides com 90% de acerto na
identificação
daquelas que foram arbitrariamente classificadas pelo
experimentador
como positivas ou negativas.

No
entato, os trabalhos sobre mecanismos de memória e
funciomento
do cérebro humano demonstram que a complexidade da memória

humana é muito maior do que de qualquer outro animal
estudado.

“Em humanos, o desempenho em atividades de memória está
muito mais sujeito à ativação de diferentes
funções mentais e cerebrais, o que o torna bastante
variável para o mesmo indivíduo e mais ainda de indivíduo
para indivíduo”. Segundo ele, o desempenho da memória
humana depende da combinação entre aspectos de maturação
nervosa, de contexto e da demanda atencional, emocional e
motivacional
da tarefa.

Tipos
de memórias

Apesar da existência de vários modelos explicativos
para o funcionamento da memória, uma das questões
que ainda intriga os pesquisadores é a relação
entre a memória de curta e a de longa duração.
Alguns defendem que a memória de curta duração
seria apenas o início do processo que levaria à formação
de uma memória de longa duração. No entanto,
a maioria dos resultados obtidos nas pesquisas sobre o
assunto tem
sinalizado para a existência desses dois mecanismos
distintos,
funcionando de forma independente, mesmo quando agem na
mesma estrutura
do cérebro.

Mais
importante que definições gerais, para entender a
memória humana é fundamental saber os processsos que
envolvem a aquisição, armazenamento e evocação
de cada tipo de memória. Para isso, o primeiro passo é
saber que não existe uma memória, mas sim vários
tipos de memória que se relacionam para formar “a memória”

que usamos no dia-a-dia.

As
classificações mais utilizadas para memórias
são estabelecidas de acordo com o tempo de duração,
função e conteúdo de cada uma delas. E, ao
contrário do que se pensa comumente, o processo de memória

não acontece apenas quando apreendemos algo novo
(arquivamos),
ou lembramos de algo (recuperamos). Há também a memória
de curto prazo ou memória de trabalho, que
alguns pesquisadores preferem não chamar de memória,
mas sim de central de gerenciamento.

A memória
de trabalho é usada, por exemplo, quando retemos um número

de telefone apenas por tempo suficiente para discarmos,
estamos
usando esse tipo de memória. Além da sua baixa capacidade
de retenção da informação – alguns segundos
ou no máximo poucos minutos – a memória de trabalho
é responsável por gerenciar nossa realidade. Ela determina

se a informação é útil para o organismo
e deve ser armazenada, se existem outras informações
semelhantes em nossos arquivos de memória e, por último,
se esta informação deve ser descartada quando já
existe ou não possui utilidade.

No
exemplo do número telefônico, como já conhecemos
a linguagem numérica e presumimos que aquela informação
não precisa ser memorizada, os mecanismos para formação
de arquivos de memória não são ativados e a
informação é “esquecida”. Então,
se não conseguimos completar a ligação, muito
provavelmente teremos que procurar o número novamente, já
que ele já foi esquecido. Na verdade nem chegou a formar
arquivos de memória.

As memórias referenciais também podem
ser classificadas de acordo com seu conteúdo
como declarativas episódicas, quando se

referem à lembrança de algo que assistimos
ou vivenciamos ou declarativas semânticas,

quando são referentes a noções
gerais adquiridas de forma indireta, como a
lembrança
de um livro que lemos. As principais áreas
responsáveis
pelas memórias episódicas e semânticas
são o hipocampo e o córtex entorrinal.

a memória de longo
prazo ou referencial

tem o processo de formação de arquivo e consolidação,
e pode durar de minutos e horas a meses e décadas (neste
último
caso são conhecidas também como memórias remotas).
São exemplos desse tipo de memória as nossas lembranças
da infância ou de conhecimentos que adquirimos na escola.

“Os sistemas
de curto e longo prazo de memória estão ligados,
transferindo
informações continuamente de um para outro. Quando
necessário, o conteúdo da memória de longo
prazo é transferido para o armazenamento da memória
de curto prazo. O sistema de curto prazo ou memória de
trabalho
recupera as memórias, tanto de curto quanto de longo
prazo”,
afirma Bueno.

As
memórias referentes a hábitos como andar de bicicleta,
saltar e soletrar são chamadas de proceduais ou de
procedimento
.
Estas podem ser explícitas, adquiridas com plena
consciência
ou implícitas, como a maioria das memórias
proceduais, adquiridas de maneira involuntária.

Memória
na psicanálise

Mas a memória tem sido estudada também sob um outro
ponto de vista, no qual o objeto de estudo não é o
que pode ser lembrado, mas sim, o contrário, o que não
é lembrado, e que está retido no inconsciente. Para
a teoria psicanalítica o mais importante é justamente
o que se gostaria de esquecer.

“A
memória para a psicanálise é um campo no qual
as significações feitas por alguém, a partir
das suas experiências vividas ou imaginadas, articulam-se
em uma linha de continuidade que pode estar interrompida
em alguns
pontos pela ação de certos processos defensivos”,
pontuou Ana Cecília Carvalho, professora no Departamento
de Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais.

Segundo
a psicanalista, muitas memórias ‘esquecidas’ estão
na verdade reprimidas no inconsciente por se tratarem de
lembranças
que trariam sofrimento para a pessoa. Em alguns momentos
conhecidos
como ‘lapsos de memória’, nos sonhos ou através de
um tratamento psicanalítico, quando essas memórias
seriam recuperadas e voltariam para o consciente.

“Quando
nos lembramos de algo, vem à tona apenas uma parte de uma
quantidade muito maior de elementos que provavelmente
estão
submetidos aos diferentes graus da censura que existe
entre o inconsciente
e a consciência. Assim, nem sempre ‘lembrar’ é o mesmo
que ‘ter consciência'”, esclarece a pesquisadora.

Na
opinião de Bueno também existiriam características
relacionadas à nossa qualifição e experimentação
individual, que influenciam na capacidade ou facilidade
com que
memorizamos as informações. “Parece que acontecimentos
conscientemente percebidos precisam assumir algum tipo de
dimensão
afetiva”.

No
entanto, os estudos sobre o grau de influência de
mecanismo
de repressão ou das emoções nos processos de
memória são ainda pouco conclusivos. No caso da repressão,

estudos apontam para o provável envolvimento de sistemas
corticais capazes de inibir a função de outras áreas
corticais ou do hipotálamo.

Fonte

Viva La Vaca!

Terça-feira montamos uns móveis para o Evanilson, instalamos a TV 32″ dele e…só.
À noite, viemos para a casa da Tia Rosa.
Hoje, quarta, é mais do chove chuva.
Chove.
Para.
Sai sol.
Chove outra vez.

Hoje finalmente saiu a foto do nosso jantar no Viva La Vaca.
Como não sei quanto tempo as fotos ficam disponíveis, já fiz minha cópia.

Viva La Vaca é Show!




Super segunda

Segunda agitada, apesar de tudo.
Saímos de casa uma da tarde em direção ao Shopping Iguatemi.
Fomos ao cinema assistir Fúria de Titãs em 3D.
Muito supimpa de legal.
As personagens e os objetos parecem que vão sair da tela
Um filme interessante, com personagens conhecidos, tais como:
– Caronte, o barqueiro que atravessa as almas para o mundo dos mortos.
Na novela América, depois que o Tião cai do touro Bandido, ele tem um encontro com Caronte.
O diálogo era mais ou menos assim:
Tião: Que lugar é esse?
Caronte: É o Rio das Almas.
Tião: E quem é você?
Caronte: Eu sou o barqueiro que atravessa as almas.
Não sei do resto, pois não assisti ao capítulo, apenas à chamada. Uma pena.
No dia 9 de outubro de 2009, postei um texto extraído da Wikipedia sobre Caronte. O link é esse.

– Medusa, aquela que transforma as pessoas em pedra.
Essa parte me fez lembrar das “artes” feitas em Senador Pompeu sobre algumas fotos dos parentes.
Os cabelos que eu criei para a Rrô são quase as cobrinhas da Medusa.



– Também foi mencionado o Leão da Neméia, parte da mitologia greco-romana, que Hércules teve que derrotar em um de seus Doze Trabalhos.

– E por último, porém não menos importante, o Kraken. Um monstro da mitologia escandinava (no filme mesclado ao contexto grego), e que aparece no filme Piratas do Caribe: O Baú da Morte.

Muito bem.
Depois do filme fomos às lojas.
Comprei apenas três itens.
A mãe não encontrou nada interessante.
Ficamos por lá até umas sete horas da noite.
Depois fomos para o Viva La Vaca jantar. Mega rodízio.
Um lugar muito bacana.
Comemos muitíssimo.
Pedimos uma torre de refrigerante. Dois litros e meio. Bebemos quase tudo.
Comi arroz com camarão, coxa de faisão e moqueca de arraia. Além das outras carnes e comidas.
Pra voltar pra casa foi uma via sacra até chegar ao ponto certo e do ônibus certo.
Chegamos em casa 23:45.

Como saber se alguém é de Fortaleza

Você é de Fortaleza ??

1. Você acha que o melhor perfume do mundo
é “cheirinho de chuva” ?
2. Você chama um amigo de “macho” ou “fí
duma égua” ?
3. Você elogia dizendo “Ave Maria” ?
4. Você sabe o
que é “fulerage(m)” ?
5. Tem alguma idéia do que seja “botar boneco” ?
6.
Quando você não quer mais alguma coisa você “rebola no mato” ?
7.
Trocou na hora um “véi macho” por “uma loura” ?
8. Você entende um
“deixa de ser besta” como uma frase amiga ?
9. Chamar alguém de
“abestado” pode ser um tratamento carinhoso ?
10. Você usa agasalho a
25º C ?
11. Se junto muita gente, você diz para os amigos “Pense na
mundiça” ?
12. Você gosta de sorvete de tapioca ?
13. Sabe o que é
uma mulher “Buchuda” ?
14. Você é capaz de dormir e até trabalhar
numa rede ?
15. Acha que o ano inteiro sem chover pode ser apenas uma
“sequinha besta” ?
16. Você sabe o que Vírgilio Távora tem a ver com
Estados Unidos ?
17. Você come pelo UM carioquinha todo dia ?
18.
Almoçar nas “barracas” pode não ter nada a ver com acampar ?
19.
Você sabe o que quer dizer “O Vovô comeu o Leão” ou vice versa ?
20.
Você acha normal ter um solzinho lindo desses 365 dias por ano ?

de
16 a 20 – Você é de Fortaleza
de 11 a 15 – Você é pelo menos
cearense
de 6 a 10 – Você já morou no Ceará
de 1 a 5 – Você é pelo
menos brasileiro
Zero pontos – Você é de Americana (SP) e jura que a
capital do Ceará é Natal…

Respostas:
1. Você acha que o melhor perfume do mundo é “cheirinho de chuva” ?
R.:Essa não tem muito o que explicar. Quando começa a chover e as primeiras gotas caem na terra quente, ocorre uma evaporação leve, que levanta um cheiro de terra molhada. Notem que aqui dificilmente a chuva começa grossa, geralmente ele começa fina e aumenta. Eu mesmo adoro o cheiro de chuva

2. Você chama um amigo de “macho” ou “fí duma égua” ?
R.:Como no Rio dizem “rapá” ou em São Paulo “ô meu” por aqui dizemos muito “macho”, e “fí duma égua” tanto pode querer dizer que o cara é chato como pode querer dizer que o cara é gente boa.

3. Você elogia dizendo “Ave Maria” ?
R.:Ave Maria = UAU !!

4. Você sabe o que é “fulerage(m)” ?
R.:Coisa sem qualidade, vulgar. Dizer que algo é “fuleiro” é dizer que algo não presta.

5. Tem alguma idéia do que seja “botar boneco” ?
R.:Botar boneco é talvez o termo mais dificil de traduzir… muita coisa pode ser configurada como “botar boneco”. A mais comum é dar trabalho a alguém, dizer que alguém “botou boneco” geralmente quer dizer que a pessoa fez ou se meteu em algum tipo de encrenca. Pode variar de algo legal a algo terrível, dependendo da situação em que é aplicada.

6. Quando você não quer mais alguma coisa você “rebola no mato” ?
R.:Reboal no mato = joga no lixo

7. Trocou na hora um “véi macho” por “uma loura” ?
R.:Essa aqui eu mesmo não sei direito

8. Você entende um “deixa de ser besta” como uma frase amiga ?
R.:Se você se desculpa com alguém por achar ter feito algo que foi prejudicial, atrapalhou ou chateou alguém. Se a pessoa responder com um “deixa de ser besta” quer dizer algo como “nem esquenta” ou “não tem porque se desculpar”

9. Chamar alguém de “abestado” pode ser um tratamento carinhoso ?
R.:Esse eu não concordo muito, ficou popularizado com a pior coisa que o Ceará já produziu o Tiririca… mas como quase tudo aqui, pode-se dar a conotação que quiser a esta palavra, é uma questão de contexto.

10. Você usa agasalho a 25º C ?
R.:Quando você está acostumado a viver em uma temperatura média de 33ºC, 25º é frio para algumas pessoas… principalmente na periferia.

11. Se junta muita gente, você diz para os amigos “Pense na mundiça” ?
R.:Mundiça = aglomeração de pessoas. “Pense na mundiça” = “Você nem imagina como estava cheio”

12. Você gosta de sorvete de tapioca ?
R.:Essa não tem o que explicar… é só ir a qualquer sorveteria natural daqui que você toma sorvete feito com goma de tapioca.

13. Sabe o que é uma mulher “Buchuda” ?
R.:Buchuda = Grávida

14. Você é capaz de dormir e até trabalhar numa rede ?
R.:Eu durmo mais de rede que de cama… sem contar que já perdi as contas que fiquei no quarto, trabalhando com o notebook no colo, dentro da rede 😉

15. Acha que o ano inteiro sem chover pode ser apenas uma “sequinha besta” ?
R.:Na década de 80, nós enfretamos 5 anos de seca por aqui… como o com humor é algo natural do cearense, a turma já tira onda.

16. Você sabe o que Vírgilio Távora tem a ver com Estados Unidos ?
R.:Uma avenida muito conhecida aqui em Fortaleza, era a Av. Estados Unidos, no final da década de 1980, ela foi rebatizada com o nome de um dos maiores políticos que o Ceará já teve, Virgílio Távora. Mesmo já tendo se passado mais de 15 anos da mudança de nome, *muita gente* ainda a chama de Av. Estados Unidos.

17. Você come pelo UM carioquinha todo dia ?
R.:Carioquinha = Pãozinho francês de 50 gramas (na Bahia é chamado de chibatinha)… o motivo é que é dourado por fora, tem casca grossa e miolo mole (eu não compartilho desta opinião, amigos cariocas).

18. Almoçar nas “barracas” pode não ter nada a ver com acampar ?
R.:A “Praia do Futuro” é uma parte da orla cearense que tem vários restaurantes a beira mar. No começo todos, 30 anos atrás, eles eram feitos de taipa, coisa bem artesanal, de pescador. Daí ganharam o nome de “barraca de praia”. Com o tempo eles foram se modernizando, e transformando em restaurantes, mas não perderam a alcunha de barraca de praia… Por exemplo, a Lounge Beach é chamada de “barraca” para todos os efeito, a despeito do luxo.

19. Você sabe o que quer dizer “O Vovô comeu o Leão” ou vice versa ?
R.:Vovô é o Ceará Sporting Club, o time mais tradicional do estado, por ser o mais antigo, tem o apelido de Vovô. Leão é o Fortaleza “não-sei-o-quê-mais”, que tem o por simbolo o felino, o porquê desta viadagem eu não sei.

20. Você acha normal ter um solzinho lindo desses 365 dias por ano ?
R.:Se for época de seca é normal .Fonte: Ueba