JotaPêAh!

O mundo não era digno

em 13/10/2009 15:23:44

O mundo não era digno.

Imagine esta cena: uma convocação de pessoas irritadas se reunindo numa montanha para ter uma sessão de queixas com Deus. A primeira pessoa a apresentar seu caso é Moisés. Ele agarra firmemente seu bordão e dá um passo para frente, olha para Deus e desabafa: “Deus, nós nos conhecemos muito bem. O Senhor fez um bom trabalho no Mar Vermelho e com o exército de Faraó. Mas será que eu não poderia ter colocado o pé na terra de Canaã? Tenho essa queixa e preciso desabafar. Minha experiência com o Senhor não tem sido totalmente agradável. Fui deliberadamente exaltado para depois ser humilhado. Tudo que fiz foi bater na rocha! O que há de mal nisso?”
Deus sorri reverentemente e, em silêncio, acena para o próximo da fila.
João Batista se aproxima e começa a sua lamentação: “Senhor, sei que és reto e justo, mas estou aborrecido, e quanto mais penso mais me enraiveço. Tenho uma pergunta. O Senhor já teve que comer gafanhotos? Eu tive. Ufa! Além disso o Senhor me obrigou a correr por montes e vales para anunciar o arrependimento, e o que eu ganhei com isso? Pois é, fui preso e sem cerimônia minha cabeça foi cortada. É dessa forma que ages?”

Deus novamente sorri e acena para outro da fila. Seu nome é Jó. Entre as várias reclamações ele diz: “Fui uma vítima indefesa. Sem consultar-me o Senhor deu ao diabo permissão para me destruir. Perdi sete mil ovelhas, três mil camelos, meu gado, jumentos, servos, filhos. E isso não é tudo. Enquanto me sentava sobre as cinzas de minha casa queimada, cuidando de meus tumores, minha mulher disse que eu havia perdido a integridade e devia blasfemar contra o Senhor e morrer. Deus, não consigo compreender como isso aconteceu comigo. O Senhor às vezes parece injusto nas Suas ações, não só comigo, mas com todas as pessoas sobre a face da terra.”

À sua frente Deus ainda vê muitas pessoas passarem fazendo as suas “justas” reclamações. Isso pode parecer cômico, mostrando a maneira humana de avaliar as situações, e até certo ponto forçado teologicamente, mas estas foram pessoas que abandonaram a vida mundana e submeteram sua vontade à vontade do Senhor, independente das consequências as quais suas escolhas as levariam.

Veja o que Deus disse com relação a Jó: “Você notou o meu servo Jó? (Jó 1:8). Ele estava dizendo: “Ele é demais! Eu o admiro. A maneira como ele vive é um exemplo vivo de pessoas que vivem segundo o Meu propósito.” Este é um sentimento nobre de Deus que diz respeito a seres humanos que vivem os ditames da Sua lei num mundo perdido em pecados. É uma apreciação pelo caráter íntegro daqueles que resolvem seguir os mandamentos de Deus, ainda que as luzes do mundo brilhem mais.
O mesmo Deus falou de Jesus: “Este é o Meu Filho querido” (Mat. 3:17), e a vida dEle é o exemplo perfeito de submissão ao desejo de Deus.

“O mundo não era digno deles!” (Heb. 11:38)


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: